“A qualquer momento o governo venezuelano pode sabotar a energia que abastece o Estado”, Alertou o deputado Izaias Maia.

A situação da energia elétrica em Roraima foi mais uma vez tema de discurso do deputado Izaias Maia (PTdoB), na tribuna da Assembleia Legislativa (ALERR) nesta quarta-feira (17). O parlamentar pediu que as autoridades, principalmente a bancada federal em Brasília, tome providências quanto à interligação do Estado ao Sistema Nacional de Energia pelo Linhão de Tucuruí.

Citou que, recentemente, Roraima sofreu com mais um apagão e que esses cortes afetam diretamente a vida do cidadão e causa prejuízos a comerciantes e nos lares na Capital e no interior. “Chega o presidente local da Eletrobrás e disse que está tudo sob controle, que na hora de uma necessidade da falta da energia da Venezuela temos energia tranquila através das termelétricas”, discordou, ao salientar que a energia produzida por estas estações são sujas.

E devido a isso, Roraima precisa da energia oriunda da Venezuela pelo Linhão de Guri e o Estado se tornou refém da crise do país vizinho. “A gente observa que a maioria das autoridades, principalmente federais, três senadores e oito deputados federais, não estão preocupados, porque se essa energia sumir de uma vez, eles pegam a maletinha e vão embora e quem quiser ficar no estado de Roraima, que fique”, acrescentou. Izaias Maia alertou que a qualquer momento o governo venezuelano pode sabotar a energia que abastece o Estado.

Segundo o parlamentar, isso começou com a falta de manutenção nas turbinas com a alegação por parte do presidente Nicolás Maduro da falta de recursos. E sem a sustentação com peças e reparos, o fornecimento de energia pode acabar.

Para colaborar com o discurso do colega, em aparte, o deputado Gabriel Picanço (PRB) informou que algumas turbinas do Linhão de Guri estão paradas devido a ausência de ajustes e troca de peças. Segundo ele, são informações publicadas na internet e que a empresa responsável pelo trabalho é dos Estados Unidos e que não opera mais em território bolivariano devido a um bloqueio da Venezuela.

Outra contribuição partiu do deputado George Melo (PSDC). De acordo com o parlamentar, na escolha da retirada da Venezuela do Mercosul, os interesses internacionais prevaleceram, mas esqueceram que o Estado de Roraima sofre com a dependência energética ao País vizinho. Aproveitou para que os meios de comunicação em Roraima cobrem da bancada federal um posicionamento sobre a situação. “Teremos graves problemas. Energia hoje é fundamental e apagões em pleno 2017, isso é um absurdo!”, concluiu.

Atraso – Izaías Maia falou ainda sobre a existência de uma corrente que fecha a BR 174 todas as noites, dentro da reserva dos Waimiri-Atroari. Sugeriu para que os parlamentares se unissem e fossem até o local, com ordem judicial, para tirar o objeto e, assim, deixar livre o caminho para ir e vir.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR