“Desde a primeira turma de policiais, em 2001, e durante esses 18 anos, muita legislação ficou pendente”, declarou o parlamentar Soldado Sampaio.

O deputado Soldado Sampaio (PCdoB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Roraima na manhã desta quarta-feira, 21, para falar um pouco da história da Polícia Militar no Estado e, assim, sensibilizar os pares pela aprovação de projetos que tratam sobre do regime próprio da previdência e que os que alteram as leis complementares nº 052/2001 e 194/2012, que beneficiam policiais militares e bombeiros, reestruturando o Corpo de Bombeiros.

“Todos sabem da nossa luta e nossa história desde soldado, presidente da entidade e, por duas vezes, eleito deputado. Nessa linha, muitos pleitos foram encaminhados. Desde a primeira turma de policiais, em 2001, e durante esses 18 anos, muita legislação ficou pendente. Reconhecendo que esta Casa sempre foi célere para votar os projetos que beneficiam os policiais bombeiros e militares. E, assim como foi ontem (20), teremos grande carinho, a mesma celeridade em votar a Lei da Previdência e a que distribui o efetivo do Corpo de Bombeiros”, disse.

Ele chamou a atenção para a disposição da governadora Suely Campos (PP) em atender o pleito da categoria. “Neste terceiro ano de mandato disse à governadora que a crise havia ido embora e que era a hora e a vez dela cumprir o nosso acordo”, disse, ao afirmar que a chefe do Executivo determinou a criação das comissões e que fossem feitas as propostas para construir a legislação.

O projeto de nº 10/2017 trata da redistribuição do atual quadro de organização da Lei 346/2002. A alteração vai reestruturar os órgãos setoriais do Comando do Corpo de Bombeiros Militar, além de criar a Diretoria de Inteligência, de Informática e Estatística e de Ensino. São ajustes no quantitativo de oficiais e praças que vão contribuir para melhoria do funcionamento do Corpo de Bombeiros.

Ele encerrou o discurso pedindo o apoio dos demais parlamentares. A galeria do plenário estava lotada de policiais bombeiros e militares.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR