Pular para o conteúdo

Assembleia lança programa Sou Mais para fortalecer laços e construir cidadania

Cada trabalho feito em favor da infância, para surtir um efeito positivo, dependerá também das ações que serão realizadas junto às famílias.

A Assembleia Legislativa do Estado (ALERR), por meio da Comissão de Direitos da Família, da Mulher, da Criança, do Adolescente e Ação Social, lançou o programa Sou Mais, que tem como finalidade fortalecer os laços familiares e construir a cidadania. O trabalho será desenvolvido no seio da sociedade e isso inclui locais como as escolas, igrejas, bairro e os próprios lares.

“Nosso objetivo com esse programa é trabalhar a prevenção, promoção e atendimento. O Sou Mais será uma ferramenta a mais para rede de proteção de crianças e adolescentes e mais um canal para a sociedade contar. Vejo que um dos maiores problemas é a falta de valores que permeiam as famílias, a falta de condições dos pais trabalharem e não terem onde deixar as crianças. O respeito de antigamente não existe mais”, disse a deputada Ângela Aguida Portela (PSC), que preside a Comissão de Direitos da Família.

Essa desordem, no entendimento da parlamentar, tem contribuído para o aumento dos abusos sexuais, violência doméstica e de adolescentes entrando no mundo do crime e da droga. “Por isso, o nosso trabalho é de prevenção. Vamos para as escolas e aos bairros conversar com os pais, famílias, crianças e adolescentes para levar informações diversas. Vai ser um trabalho gradativo, de mudança de paradigma, de conscientização, pois queremos trabalhar o lado humano das pessoas, mostrar que os sonhos existem para serem conquistados e que a educação é o caminho para o desenvolvimento pessoal e da nossa sociedade”, afirmou Angela Águida.

A parlamentar sabe que a luta será árdua, mas que é possível fazer a diferença. “Essa geração precisa ver que a vida é mais que a pobreza, drogas e violência. Não será fácil, mas eu creio que será possível. É preciso entender que a transformação começa em nós”, complementou, ao dizer que conta a participação de todos.

A deputada Lenir Rodrigues (PPS), que também é membro da Comissão de Direitos da Família, avaliou o programa Sou Mais como positivo, pois fortalecerá as outras bandeiras de luta encampadas pela Assembleia Legislativa. Ela também colocou a experiência do Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) à disposição do Sou Mais.

“A coordenadora do projeto, deputada Ângela Aguida, vai poder contar com todo o nosso apoio, a colaboração dos profissionais do Chame e da Procuradoria Especial da Mulher, porque temos pessoas com certa experiência nessa área, e que vão se somar aos trabalhos desenvolvidos pela Assembleia”, disse Lenir.

O desembargador Mauro Campelo, que sempre militou na área da infância e juventude, ressaltou que cada trabalho feito em favor da infância, para surtir um efeito positivo, dependerá também das ações que serão realizadas junto às famílias.

“Não existirá criança abandonada se não tivermos família desestruturada. Então temos que atacar essas duas frentes, não só o problema da criança em si, mas também as causas, que geralmente estão na família. Ciar um programa que vai atender as famílias é de fundamental importância para a estruturação familiar porque fará com que as crianças estejam nas escolas, nos cursos profissionalizantes, atividades esportivas, e automaticamente se transformará em um cidadão”, disse.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0