Na sessão plenária desta terça-feira (27), da Assembleia Legislativa de Roraima, o deputado Evangelista Siqueira (PT) usou a tribuna para reforçar importância da campanha Setembro Amarelo, que tem o objetivo de discutir sobre a saúde mental e desenvolver políticas públicas de enfrentamento ao suicídio.

De acordo com dados apresentados pelo parlamentar, a cada 40 segundos uma pessoa tira a sua própria vida no mundo, vítima da depressão. No Brasil, Roraima é o 10º estado no ranking do suicídio. “A depressão, hoje, é diagnosticada como uma das principais causas de afastamento no serviço, além disso, ela é um caminho para o suicídio”, destacou Evangelista.

Para ajudar a diminuir os números, o parlamentar relembrou da criação da Lei nº1065, que instituiu a Semana Estadual de Valorização da Vida e Prevenção do Suicídio, no Calendário Oficial do Estado, em 2016. “Em 2016, um pai me procurou porque tinha perdido o seu filho, vitima de suicídio, ele disse que queria algo para ajudar outras famílias, isso me chamou atenção e apresentei nesta Casa a proposta”, enfatizou.

Este ano, o tema da campanha Setembro Amarelo será: “Você importa, você tem valor, você não está só”. Durante todo o mês, haverá realização de palestras, atividades educativas, concurso de redação nas escolas, além da execução de ações na capital e municípios. Evangelista explica o que lhe motivou a apresentar a proposta.

Evangelista falou ainda da necessidade de o Executivo desenvolver ações para o combate do suicídio. “Precisamos livrar Roraima do ranking da morte. O número de casos no nosso Estado está na faixa etária de 15 a 29 anos. O Governo precisa desenvolver e aplicar políticas públicas para evitar essas mortes”.

Em aparte, a deputada Catarina Guerra (SD) citou a criação da Cartilha de Prevenção ao Suicídio, desenvolvida por ela para levar ações de prevenção nas escolas. “Estamos juntos nessa luta. Desenvolvemos uma Cartilha que já foi solicitada para outros três estados, por conta do problema vivenciado também. Precisamos valorizar a vida”, comentou.

Os parlamentares também destacaram a necessidade de atendimento psicológico na rede estadual de ensino, para acompanhar a comunidade escolar. “Também precisamos cuidar de quem cuida. A rede de saúde e educação estão adoecidas, não é só o aluno ou o jovem, precisamos estender a mão para todos”, frisou Catarina.

Texto: Jéssica Sampaio

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR