Pular para o conteúdo

Apenas 4% da população de Roraima doa sangue regularmente

Qualquer pessoa pode precisar de uma transfusão de sangue, seja devido a uma cirurgia ou após algum acidente. No entanto, segundo dados do Hemoraima (Centro de Hemoterapia e Hematologia de Roraima), apenas 4% da população de Roraima faz doações regularmente. Para aumentar esta proporção, leis estaduais que beneficiam o doador foram aprovadas na Assembleia Legislativa de Roraima, para atrair o público e aumentar o estoque de sangue.

O Hemocentro tem 66 mil doadores cadastrados, mas destes, apenas 40% fazem doações com regularidade, o equivalente a cerca de 26 mil pessoas. Em um universo de 631 mil habitantes – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – este índice é insuficiente para manter o estoque em níveis seguros. O Hemoraima abastece todos os hospitais do Estado, inclusive os da rede privada.

Entre as leis em exercício está a 1.325/19, proposta pelo deputado Neto Loureiro (PMB), que concede meia-entrada aos doadores de sangue em eventos esportivos e culturais, além de prioridade em estabelecimentos comerciais, bancos e casas lotéricas.

Também está em vigor a Lei 167/97, que garante a isenção da taxa de inscrição em concursos públicos, proposta criada pela ex-deputada Rosa Rodrigues. Segundo a gerente do Núcleo de Captação do Hemoraima, Juliane Uchoa, muitas pessoas se cadastram para conseguir este benefício.

“Nós temos um pouco mais de 66 mil pessoas cadastradas no nosso sistema, mas somente 40% são doadores regulares”, explicou a gerente do núcleo. Segundo ela, em outros casos as pessoas fazem o cadastro para doar sangue para familiares e conhecidos e após isso não retornam ao Hemocentro.

Entretanto, muitas pessoas desconhecem estas leis e doam exclusivamente pela solidariedade. A artesã Priscila Moraes conta que o filho nasceu prematuro e ficou quatro meses internado precisando de bolsas de sangue para conseguir sobreviver e foi após isso que ela percebeu o quanto era importante se tornar um doador regular.

“Normalmente, os bancos de sangue estão com o estoque abaixo do que é preciso, mas não custa nada doar sangue, não demora tanto tempo assim e você acaba fazendo parte das vidas das outras pessoas, se doando um pouco para os outros”, comentou Priscila.

QUEM PODE DOAR?

No dia 25 de novembro é comemorado o Dia Nacional do Doador de Sangue. Aqueles que quiserem doar precisam seguir requisitos exigidos pelo Ministério da Saúde e pela Associação Americana de Bancos de Sangue, para garantir a saúde tanto do doador quanto dos receptores:

  • Apresentar documento de identidade original com foto atual;
  • Ter entre 16 e 69 anos. Quem for menor de idade deverá estar acompanhado pelos pais;
  • Pesar no mínimo de 50 kg;
  • Ter dormido no mínimo 6 horas nas últimas 24 horas;
  • Evitar jejum e alimentos gordurosos nas últimas 3 horas;
  • Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas.

Texto: Mairon Compagnon

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0