Pular para o conteúdo

Campanha da ALE-RR alerta para a importância do diálogo mesmo a distância

“Vamos conversar? Ligue 188, CVV”. Em maio deste ano, o CVV (Centro de Valorização da Vida) recebeu mais de 100 ligações oriundas de Boa Vista. As razões para o contato são mantidas sob segredo para preservar a privacidade daqueles que buscam em uma ligação o momento para desabafar ou até mesmo dividir alegrias do dia a dia.

Para fortalecer este canal gratuito e disponível em todo o Brasil, a Superintendência de Comunicação da Assembleia Legislativa de Roraima lançou a segunda edição da campanha em emissoras de rádios, TVs e redes sociais, tanto do Poder Legislativo quanto em outros veículos de comunicação. O material tem 30 segundos de duração com mensagens motivacionais e destaque ao número de telefone 188.

“Estamos em pandemia e a rotina da gente mudou, ainda é preciso manter distanciamento social e sabemos que isso tem nos afastado de amigos, de colegas de trabalho e até mesmo dos nossos familiares”, analisou a superintendente de Comunicação, Sônia Lúcia Nunes. E foi pensando nisso que a temática foi abordada, para incentivar ainda mais a busca pelo apoio emocional.

“Precisamos dizer a essas pessoas que elas podem contar com o apoio do Centro de Valorização da Vida, que funciona 24h por dia.  Em muitas situações só precisamos de alguém para nos ouvir, sem julgamentos”, explicou Sônia.

A coordenadora voluntária do CVV Boa Vista, Elizabete Brito, explica que o número 188 está disponível todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados. Devido à procura, há riscos de congestionamentos na linha, mas o importante é não desistir.

“Terá sempre um voluntário para atender a essa pessoa. Há quem diga que não funciona, mas existe sim, é real e às vezes tem até fila de espera”, disse ela.

A busca pelo diálogo cresceu desde o início da pandemia causada pelo novo coronavírus, seja pelo isolamento social, a perda do emprego ou de um ente da família, a conversa tem sido o recurso para manter a saúde mental em dia.

“Nós, como seres humanos, sofremos muito com a perda e não temos como não sofrer. No momento de angústia e sofrimento as pessoas ligam para o CVV e conversam com nossos voluntários”, acrescentou Elizabete.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Divulgação TV Assembleia, canal 57.3

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0