Pular para o conteúdo

INCLUSÃO
Servidores da Superintendência de Programas Especiais participam de oficina de Libras

Propiciar uma melhor comunicação com as pessoas que buscam atendimento no Centro de Convivência das Juventude é um dos objetivos da oficina de Libras (Língua Brasileira de Sinais) que está sendo ofertada para os servidores da instituição. O curso de 20 horas iniciou nesta quinta-feira (23).

“A comunicação é essencial nas relações, e aqui atendemos todos os públicos, os que buscam o Centro, o Procon, o Fiscaliza Roraima e a Defensoria Pública. São mais de 800 pessoas que passam por aqui, e às vezes são aquelas que necessitam deste testamento diferenciado. Por isso, estamos capacitando nossos servidores para melhor atender quem nos procura”, explicou o superintendente da instituição, Damosiel Alencar.

O professor Leonardo Cabral, intérprete e tradutor de Libras, disse que o maior desafio é encontrar pessoas que queiram aprender a língua porque entenderam que existe um público diferenciado que precisa se comunicar.

“É uma honra estar aqui ensinando, para que eles possam atender melhor a comunidade surda que procurar o Centro. Essa primeira aula está sendo muito produtiva, começamos ensinando o alfabeto, aprendendo a fazer seu nome. Espero que esse foco continue nas demais aulas”, afirmou Cabral.

 

 

 

A servidora Eliane Chaves disse que o curso vai se somar às atividades comunicacionais do Centro.

“Esse curso é de extrema importância porque estamos trabalhando com a inclusão social das pessoas. Já tivemos um caso, de uma aluna que faz balé, que tem a necessidade de se comunicar em Libras. Esse curso é uma experiência das inovações desta nova gestão. Para mim está sendo fantástico, é o meu primeiro contato e é muito enriquecedor.”

Quem também aprovou a ideia foi o professor de violino Gilmar Souza Barro. “Tenho aulas com dificuldades, e quanto mais eu conseguir me expressar por meio de uma nova linguagem, o desenvolvimento do aluno é muito mais rápido. Há muito tempo eu queria fazer esse curso, e com esse acesso dado pela Assembleia Legislativa, realmente será muito gratificante esse conhecimento no dia a dia”, disse Barros.

Texto: Marilena Freitas

Fotos: Jader Souza

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Arquivos

0