A homenagem é uma forma de agradecer a aqueles que dedicaram a vida a pregar o respeito e a sabedoria de conviver e ajudar o próximo.

As tradições africanas, religiosas e simbólicas foram lembradas durante a entrega da comenda Orgulho de Roraima à personalidades e lideranças que lutam pela igualdade racial. A iniciativa do deputado Evangelista Siqueira (PT), aconteceu na manhã desta quarta-feira (23), no plenário Noêmia Bastos Amazonas, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR).

Receberam a homenagem: Antonia Maria da Conceição Lima, Mãe Cuiabana; Antonia Pedrosa Vieira; Augusto Vieira da Silva, o Mestre Melancia; Carlos Alberto de Souza Fournier, presidente da Associação de Umbanda, Ameríndios e Cultos Afro-Brasileiros de Roraima (Assuaer); Dagoberto Luis Ventura Mota, o Mestre Caimbé; Elias Silva Fernandes, primeiro jogador de capoeira da cidade; Glória Rodrigues Serra, presidente Estadual da União de Negros pela Igualdade (UNEGHRO); José Lima dos Santos, o Zé da Viola; Mário Abdala, afroreligioso, in memorian; Nelita Frank, fundadora do Núcleo de Mulheres de Roraima (NUMUR); Renato Adolph Lopes, Mestre Renatão; e Sebastiana Pereira, Tia Sabá, in memorian.

José Lima dos Santos, popularmente conhecido como ‘Zé da Viola’, é agricultor em Rorainópolis e lá desenvolve um festejo tradicional, o Reisada, entre os dias 25 de dezembro e 6 de janeiro, desde 1998. Tudo começou quando a mulher dele adoeceu, então ele decidiu fazer uma promessa para o Santo Reis, caso houvesse a cura, anualmente ele cantaria pelas ruas da cidade ao som de viola.

A mulher curou do que seria uma gastrite, então há quase 20 anos, Zé da Viola anima os moradores do Sul do Estado com a Reisada. A festa é montada com doações e, ao final, o que sobra é dividido entre os moradores. Sobre a comenda, disse que está feliz pelo reconhecimento. “Eu recebo ela com muito prazer e muita dedicação do nosso Estado aqui e a Assembleia que está dando apoio e pra mim é um grande respeito, uma grande honra”, completou.

Para o autor da audiência, deputado Evangelista Siqueira, a homenagem é uma forma de agradecer a aqueles que dedicaram a vida a pregar o respeito e a sabedoria de conviver e ajudar o próximo. “Nós vivemos no mundo onde, apesar de as leis garantirem sermos iguais em todos os sentidos, vivemos ainda momentos de intolerância”, explicou.

E após identificar as pessoas que trabalharam em prol da igualdade racial, apresentou o projeto de decreto legislativo, aprovado pelos colegas parlamentares. “Entendemos então que a Assembleia Legislativa, por meio da Comenda Orgulho de Roraima, poderia homenagear essas pessoas pelo trabalho que realizam ou realizaram”, complementou.

A deputada Lenir Rodrigues (PPS) parabenizou a iniciativa do parlamentar em agraciar com a comenda Orgulho de Roraima estas pessoas. “Elas tem um grande significado, não só pela valorização cultural, mas também pelo enfrentamento da discriminação cultura, discriminação racial”, e agradeceu aos presentes pelas conquistas.

Em contribuição, a deputada Angela Águida Portella (PSC), reforçou o pedido de valorização a cultura, a arte, a liberdade de ação, de crenças. “O que seria de nós sem essa pluralidade?”, enfatizou. Aproveitou para dizer que apoia o Grupo de Capoeira Cauamé e o Bumba Meu Boi da Estrela do Sul, em Rorainópolis.

Por Yasmin Guedes

SupCom/ALE-RR