Representantes de segmentos religiosos e do Poder Legislativo, por meio da Comissão de Direitos da Família, da Mulher, da Criança, do Adolescente e Ação Social, estiveram reunidos nesta terça-feira, 28, durante a programação da 1ª Conferência Pública Estadual da Família Cristã.

O evento ocorreu no plenário Deputado Valério Magalhães e segundo a presidente da Comissão, deputada Ângela Águida Portela (PSC), o principal resultado foi a homologação dos conselhos estadual e municipais da família cristã e o amplo debate acerca do projeto de lei nº 131/17, de autoria do deputado Mecias de Jesus (PRB) e da parlamentar, que proíbe atividades pedagógicas sobre conceito de ideologia de gênero na grade escolar pública e privada. “Com a regulamentação dos conselhos, as famílias terão mais um canal de comunicação e representatividade para que possam participar da construção das políticas públicas e também uma oportunidade de as entidades cristãs mostrarem o seu papel e o que estão fazendo. Precisamos fortalecer a cultura de paz e reforçar os valores”, reafirmou.

O evento foi realizado com a participação da Frente Cristã em Defesa da Família, OMER (Ordem dos Ministros Evangélicos de Roraima), OMEBE (Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil e Exterior) e Diocese de Roraima. O apóstolo Elton Souza, presidente da OMER, fala que a Conferência é a confirmação de todo o trabalho realizado no interior do Estado, com os 14 municípios. “É um dia que vai ficar na história [de Roraima]. Fizemos uma caminhada de 40 dias por todo Estado fazendo as conferências municipais nos 14 municípios. Conversamos com a população para captar ideias e, com isso, identificar as metas para construir e ganhar mais espaço perante a sociedade”, afirmou.

Representando a Diocese de Roraima, o padre Carlos Dallospedale, disse que, a família é a grande preocupação da Igreja e debates como estes são importantes para fortalecer e apontar caminhos para que as famílias vivam cada vez melhor.  “A família é a célula da sociedade, onde aprendemos a amar e sermos amados.  Se a família funciona bem, toda a sociedade caminha melhor”, avaliou o padre.

Renale Almeida é advogada e participou das discussões em todas as localidades durante os 40 dias de trabalho em prol da Frente Cristã. Ela pensa que este é um momento de levar em consideração a importância dos princípios e tentar reaver o respeito e a obediência aos pais. “Hoje muitos têm deixado de lado ou esquecido esses valores e eventos como estes podem contribuir para a reafirmação da base familiar”, opinou.

Um dos pontos altos das discussões girou em torno do projeto que trata da proibição de atividades pedagógicas que visam à reprodução do conceito de ideologia de gênero na grade curricular das escolas estaduais públicas e privadas. Mecias de Jesus acredita que as escolas foram feitas para formar profissionais e não para tratarem de assuntos que envolvam a ideologia de gêneros. “Assuntos polêmicos somente a família, o pai, a mãe ou responsável tem autoridade e liberdade para tratar. Cabe a nós e a toda sociedade defender os direitos daqueles que ainda não tem idade para decidir sozinho”, defendeu.

 

Tarsira Rodrigues

SupCom ALERR

Em: 28.11.2017