Quem deseja mudar o comportamento que não está fazendo bem para a família e muito menos para si mesmo, precisa ter iniciativa, mas com ajuda fica mais. Foi assim para o funcionário público, D. S., de 31 anos que buscou auxílio do Núcleo Reflexivo Reconstruir, da Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa de Roraima, que encerrou o primeiro ciclo do ano, nesta quarta-feira, 18. A reunião que finalizou os trabalhos ocorreu no prédio da Procuradoria, localizado na avenida Capitão Júlio Bezerra, 193, Centro. Esta primeira fase teve duração de três meses.

D. S. explicou e relembrou momentos difíceis que enfrentou e como a vida dele mudou após os encontros. “Tenho aprendido bastante com o apoio dos psicólogos, assistentes sociais e por meio das rodas de conversas. Esse amparo tem me favorecido, mudei minha forma de pensar em vários aspectos e principalmente no que diz respeito à família e ao tratamento a minha mulher. Hoje tenho outra visão da vida”, revelou o participante do Reconstruir.

Durante o encerramento desse primeiro ciclo, os mais de vinte assistidos pelo Núcleo Reflexivo Reconstruir, acompanhados dos familiares, participaram de uma oficina sobre autoestima com roda de capoeira e fabricação de instrumentos recicláveis. Coordenadora dos encontros, a psicóloga Antônia Loureto Calheiros explica como foram esses três meses de trabalho. “Podemos perceber uma mudança significativa no comportamento dos assistidos, eles deixam de lado aquelas condutas agressivas para que possam ter, juntamente com a família, maior qualidade de vida”, disse a coordenadora das reuniões.

Antônia ressaltou ainda que durante esse período foram trabalhados dez eixos temáticos, com assuntos diferentes que incluem: família, autoestima, relacionamentos e terapias em grupos. “Com reuniões semanais trabalhamos ainda com palestras sobre a promoção de comportamentos sem violência, para que eles tenham um novo significado na vida”, completou a psicóloga.

Os homens que são assistidos pelo Núcleo Reconstruir são selecionados por meio de outros órgãos públicos como Vara de Penas e Medidas Alternativas (Vepema), coordenada pelo Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), Defensoria Pública do Estado (DPE), Secretaria de Estado de Educação (Seed) e do Centro Humanitário de Apoio à Mulher (Chame). Parte dos homens que participam dessas rodas de conversa realizadas pelo Núcleo nunca teve problema com a justiça.

Nova oportunidade – O próximo ciclo do Núcleo Reconstruir iniciará no dia 02 de maio. No total serão dez encontros realizados. O quantitativo de participantes ainda não está fechado, pois segundo a coordenação é preciso aguardar os nomes serem encaminhados ao Núcleo por meio da Vepema, DPE, Educação e do Chame.

Por Tarsira Rodrigues

SupCom/ALE-RR