Segundo os parlamentares, o período letivo não iniciou por falta de estrutura nas escolas

Em reunião da Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa, realizada nesta quinta-feira (23), os deputados demonstraram novamente a preocupação com alunos do Interior e escolas indígenas, uma vez que, segundo os parlamentares, as aulas nos municípios não iniciaram por falta de estrutura nas escolas.

O presidente da comissão, deputado estadual Evangelista Siqueira (PT), lamentou a situação. “Essa história de dizer que as aulas já iniciaram no Interior é mentira. Estamos em contato com as escolas. Não há condições necessárias para que isso aconteça e precisamos responsabilizar o Governo.”

Ainda segundo o deputado, as informações repassadas pela Secretaria Estadual de Educação são “rasas e inconsistentes” e por isso, a comissão cobra uma resposta mais completa sobre o início das aulas.

Calendário Escolar

Além disso, outro fato que preocupa a comissão é o não recebimento do calendário Escolar 2019 e a falta de informação sobre a reposição de aulas em escolas que perderam grande parte dos dias letivos no ano passado. “Isso já foi pedido em conversa com a secretária de Educação, cobrado por meio de documentação oficial, mas não obtivemos resposta”, disse Evangelista Siqueira.

Em razão disso, foi determinado um prazo de três dias úteis para que a secretaria encaminhe o calendário. Caso não haja resposta, a Secretaria de Educação, Leila Perussolo, será convocada para dar explicações pessoalmente à comissão.

Audiência Pública

Segundo Evangelista Siqueira, o Governo do Estado quer fechar a Escola Estadual 13 de Setembro, no bairro homônimo, em Boa Vista, o que na avaliação dele trará prejuízo à comunidade. “Isso é inadmissível. Fechar a escola significa reprimir o direito à Educação. Nós queremos entender o que está acontecendo e mostrar nossa revolta em relação a isso. O governo tem é que construir e ampliar a rede estadual de ensino e não fechar escolas. Isso é lamentável”, finalizou.

Diante dos fatos, a comissão viu a necessidade de realizar uma audiência pública para ouvir os professores, pais de alunos e comunidades sobre o assunto. Na ocasião, foi decidido que a audiência seria realizada no próximo dia 29 de maio, às 15h, na Assembleia Legislativa.

 

Texto: Bárbara Araújo

Foto:  Alex Paiva

SupCom ALE-RR