O deputado Nilton Sindpol (Patri), que é policial civil, afirmou que a Polícia Civil de Roraima “pede socorro”, na sessão plenária da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), nesta quarta-feira (28). Ele explicou que nas delegacias faltam itens básicos como papel e telefone e que os policiais precisam fazer cota para ter internet.

O parlamentar disse que por falta de pagamento, a empresa contratada para o serviço de impressão retirou as impressoras, impossibilitando, por exemplo, que sejam impressos boletins de ocorrência. O deputado citou ainda o quadro defasado de policiais, considerando que houve apenas um concurso público, realizado no Estado há 15 anos.

“Não tem condições mínimas de trabalho, tanto na Capital como nos municípios. Os policiais não têm ânimo para trabalhar, estão sobrecarregados. Sem investimento não há agilidade no atendimento à população”, afirmou o deputado.

De acordo com o parlamentar, a falta dessas ferramentas de trabalho dificulta o trabalho de investigação dos crimes. Além disso, segundo ele, diante de tantos empecilhos, a população acaba desistindo de formalizar uma denúncia.

“Solicito que possamos abrir os nossos olhos para que haja, por parte do Poder Executivo, um investimento para a Policia Civil. Roraima está localizada em uma tríplice fronteira, então drogas e armamento estão entrando, e qualquer um de nós pode ser uma vítima”, disse Nilton Sindpol.

Em aparte, a deputada Betânia Almeida (PV) explicou que também falta investimento em tecnologia, visto que Roraima é único estado que ainda não tem uma delegacia virtual. “Isso acaba sobrecarregando as delegacias. Precisamos de uma delegacia virtual para agilizar os processos e evitar a perda de documentos, e responder mais rápido a população.”

Texto: Vanessa Brito

Foto: Alex Paiva e Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR