Um dos maiores desafios da vítima de violência doméstica é quebrar o silêncio e denunciar o agressor, e nesse momento o atendimento de um profissional é determinante.  Com essa proposta, acadêmicos de Direito da Universidade Federal de Roraima (UFRR) foram orientados pelo Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) sobre como lidar com essas ocorrências.

Essa orientação faz parte da roda de conversa realizada pelo Chame e o Núcleo de Práticas Jurídicas e Direitos Humanos da UFRR. No primeiro dia, participaram 45 alunos do 8 º ao 10 º semestre do curso de Direito.

A advogada do Chame, Fabiane Baraúna, explica que essa é a primeira vez que o Centro realiza uma atividade voltada para acadêmicos. Ela informa que a roda de conversa vai ocorrer a cada 15 dias para falar sobre violência doméstica, como atender e encaminhar as demandas da vítima para os órgãos competentes.

“Foi mais uma conversa do que uma palestra, bem informal. Na academia, a gente não lida tanto com essas situações. É uma forma de trazer para mais próximos deles, esses casos de violência doméstica”, disse.

Para a estudante de Direito, Caroline Amorim, de 22 anos, participar desta roda de conversa com a equipe do Chame vai acrescentar na vida acadêmica e profissional.

“Essa roda de conversa vem para agregar conhecimento, e saber lidar com essa situação, da mulher que é vítima de violência doméstica que está vulnerável”, disse.

Segundo o coordenador do Núcleo de Práticas Jurídicas e Direitos Humanos da UFRR, Douglas Verbicaro, a parceria vem para atender uma demanda do curso, ao proporcionar mais experiências aos alunos, para que eles saibam como fazer um atendimento às vítimas de violência, diante do crescimento destas ocorrências em Roraima.

“Com a experiência através desta parceria, eles poderão lidar com situações que podem acontecer, e dar um andamento correto para esses casos, e atender as necessidades que possam aparecer”, disse.

Texto: Vanessa Brito
Foto: Lucas Almeida
SupCom ALE-RR