A falta de vagas nas escolas e ausência de iluminação pública foram algumas das queixas apresentadas ao Fiscaliza Roraima, durante orientação aos atendidos pela Defensoria Pública, no bairro São Francisco.  Na manhã desta quarta-feira (16), a população que aguardava atendimento pôde conhecer a atuação do órgão na fiscalização dos serviços prestados pelo poder público.

Segundo o assessor jurídico do programa, Diego Soares, muitos roraimenses ainda desconhecem que o Poder Legislativo também é responsável pela fiscalização dos serviços públicos. “Nós estamos explicando que eles que devem procurar os órgãos competentes para cobrarem os seus direitos”, explicou o

Sentado à espera do atendimento, o operador de retroescavadeira Hemerson da Silva estava atento às orientações repassadas. Ele aproveitou para formalizar a queixa sobre a falta de iluminação pública onde mora, no bairro Cidade Satélite. “A população às vezes evita de sair à noite por causa do medo de acontecer alguma tragédia ou um assalto. Quem já está aqui já aproveita, e não precisa ir a outro órgão denunciar” destacou.

Já a camareira Nazaré Pereira aproveitou para saber como deveria agir quando a escola negar uma vaga. Ao procurar matricular para a neta perto de casa, no bairro Santa Luzia, foi informada que não conseguiria. “Eu fui à secretaria três vezes, mas eles falaram que depois que começassem as aulas iam ver. Falaram que ter tinha, mas tinha que ir na Secretaria de Educação”.

Orientada a denunciar a situação, ela resolveu buscar a ajuda do Fiscaliza Roraima para garantir que o ocorrido não se repita. “Ano que vem ela vai ter que sair da escola. Mas agora eu já sei como procurar”.

Ações nos bairros

Ainda durante a quarta-feira (16), uma equipe do programa esteve no bairro São Bento orientando os moradores sobre as ações da instituição e colhendo as demandas apresentadas pela população no local.

O Fiscaliza Roraima recebe denuncias como, falta de professores, materiais escolares, ausência de postos policias e de saúde nos bairros ou qualquer questão que afete a qualidade de vida da população. A queixa pode ser formalizada pessoalmente no prédio localizado na rua Agnelo Bittencourt, 232, Centro. Para a comodidade do cidadão, também é possível realizar a reclamação por meio do site fiscalizarr.com.br, pelo aplicativo disponibilizado para o sistema androide ou pelo telefone 98402-1735.

Texto: Bárbara Araújo

Foto: Lucas Almeida

SupCom ALE-RR