Além de orientar os adultos sobre como denunciar irregularidades nos serviços públicos, o programa Fiscaliza Roraima, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), também se preocupa com a formação de cidadãos mais participativos. Para isso, são realizadas ações como a desta terça-feira (19), quando a equipe conversou com estudantes de 14 e 15 anos da Escola Estadual Oswaldo Cruz, e explicou como eles podem reivindicar os seus direitos por meio do programa.

Que gostou de saber das ferramentas disponíveis para registrar uma reclamação, foi o estudante Adjackson Souza, de 14 anos, ao citar que existem poucas instituições com esse trabalho de fiscalização junto com a comunidade. “No meu bairro São Bento é muito cheio de buracos, os postes não têm luz. Já vou baixar o aplicativo, e falar com a minha mãe”, disse.

Para o estudante Adriano Amorim, de 14 anos, o programa Fiscaliza Roraima permite que jovens e adultos ganhem voz, para falar das demandas enfrentadas pela pela comunidade local. “O programa Fiscaliza Roraima é um ótima ferramenta para quem tem problemas no dia a dia, tanto de governo como da prefeitura”, disse.

O diretor do programa Fiscaliza Roraima, Marcelo Moreira, informa que esse bate-papo possibilita que os jovens exercitem o papel de cidadão desde cedo. “É muito importante isso na idade deles, é uma mudança que podemos ter em nível do Brasil. Se a consciência desses jovens começar a mudar, ao perceberem que eles são o futuro, podemos ter uma mudança de atitude”, disse.

Essa atitude que precisar ser mudada, segundo o diretor, é a passividade do brasileiro, de se conformar com irregularidades nos serviços públicos e não exijir mudança. “Muitas vezes isso não é feito, porque talvez não  existe a percepção, por parte do cidadão, de que seu direito será atendido. Esse é o papel da Assembleia de aproximar a sociedade, para a população perceber que vale a pena reivindicar”, disse .

Fiscaliza Roraima

Qualquer pessoa pode registrar uma denúncia no site do programa fiscalizarr.com.br. Pelo endereço, o cidadão pode acompanhar o processo de apuração e encaminhamento para órgãos competentes. A reclamação também pode ser feita pessoalmente na rua Agnelo Bittencourt, 232, Centro, ou pelo telefone 98402-1735.

Texto: Vanessa Brito

SupCom ALE-RR