Na tarde desta terça-feira (26), a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), iniciou a oitiva de pessoas envolvidas no contrato da Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde em Roraima (Coopebras) com a Sesau (Secretaria Estadual de Saúde).

Os membros da CPI ouviram quatro testemunhas que atuavam na secretaria e que tinham ligação com o contrato com a empresa terceirizada. As testemunhas foram questionadas sobre como funcionava a fiscalização do trabalho dos médicos, horários, formas de pagamento, e sobre como era o andamento do contrato.

Segundo o presidente da CPI, Coronel Chagas (PRTB), as informações vão contribuir para a investigação da comissão para detectar possíveis irregularidades. “São diversas informações que vamos analisar, em face de outros depoimentos, para que no final possamos formar a nossa convicção, se efetivamente há alguma irregularidade ou não”, explicou.

Para a deputada Lenir Rodrigues (Cidadania), os depoimentos foram esclarecedores em relação aos dados recebidos pela Sesau. Ela conduziu a maior parte das perguntas às testemunhas. “Tenho certeza que vamos cruzar as respostas das testemunhas com o conteúdo, para nós tirarmos conclusões e fazermos o nosso segundo relatório preliminar e apresentar para a relatoria”, explicou.

A CPI ainda vai ouvir mais seis pessoas na quarta (27) e na quinta (28), a partir das 14h. Nesta reunião, participaram os deputados Jorge Everton (MDB), Coronel Chagas (PRTB), Lenir Rodrigues (Cidadania), Soldado Sampaio (PCdoB), Nilton Sindpol (Patri).

Texto: Vanessa Brito

Foto: Isaias Amaral

SupCom ALE-RR