A deputada Betânia Almeida (PV), presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energia, da Assembleia Legislativa de Roraima, informou que as oitivas para coleta de informações serão iniciadas em dezembro. Em discurso durante sessão plenária, a parlamentar reafirmou o compromisso da investigação para garantir um fornecimento de qualidade e uma tarifa mais justa para a população de Roraima.

O pronunciamento da deputada recebeu apoio do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jalser Renier (SD). “A empresa se diz parceira da sociedade roraimense, mas entra nas casas dos cidadãos, corta a luz, independentemente de estarem pagas ou não, e fazem fiscalização como se fossem polícia. Portanto, nós repudiamos essa empresa, avançando com a CPI por entender que o alto preço tarifário é desproporcional para o sistema tarifário brasileiro”, enfatizou.

Em discurso proferido na sessão desta terça-feira (26), a deputada Betânia Almeida pontuou que os próximos passos serão as convocações de testemunhas para oitivas. “A CPI vai até o final e me comprometo em responder as perguntas feitas pelos requerimentos”, disse a parlamentar.

De acordo com a deputada, muitas pessoas procuram os gabinetes dos deputados na Assembleia Legislativa não mais para pedir uma cesta básica e sim para pedir ajuda no pagamento da conta de energia. “O clamor do povo é a CPI da Energia. Ninguém aguenta pagar R$ 1 mil, R$ 2 mil na conta de energia. Como é que um assalariado vai pagar R$ 890 reais de energia?”.

A CPI vai buscar respostas para questões como aumento na conta de energia, qualidade do serviço, dúvidas sobre cálculos, investimentos prometidos para melhorar a geração e distribuição de energia, informações medidores e o consumo da população.

Betânia lembrou que a energia elétrica foi tema de audiências públicas em Roraima, Brasília e Manaus, para discutir a necessidade de interligação de ao Sistema Nacional e sobre o Linhão de Guri (fornecimento de energia partindo da Venezuela). “Nada foi feito. Vivemos em um Estado com potencial, mas falta investimento privado por falta de energia”.

Oitivas

Na manhã desta terça-feira (26), a CPI da Energia se reuniu para definir o cronograma de oitivas. A primeira será no dia 4 de dezembro, a partir das 15h, na sala de reuniões da Assembleia Legislativa de Roraima. Além da Roraima Energia, serão convocados órgãos de defesa do consumidor, promotoria de Defesa do Consumidor, OABRR (Ordem dos Advogados do Brasil) – Seccional Roraima. “Fizemos uma relação de nomes que possam responder aos anseios da população. Reunião decisiva na comissão onde vamos seguir, primeiro das oitivas, a Roraima Energia”.

Ainda de acordo com a presidente da CPI, os encontros permanecerão durante o recesso parlamentar. O grupo que é composto ainda por Gabriel Picanço (Republicanos), Lenir Rodrigues (Cidadania), Éder Lourinho (PTC) e Evangelista Siqueira (PT).

Texto: Yasmin Guedes

Foto: H. Emiliano

SupCom ALE-RR