Parlamentar pede que o Governo do Estado tome providências sobre estas demandas

Em pronunciamento nesta terça-feira (3), na Assembleia Legislativa, o deputado Nilton Sindpol (Patri) denunciou a falta de itens para alimentação enteral para pacientes das unidades de saúdes do Estado. No discurso, o parlamentar apontou ainda a possível contaminação com resíduos de fezes no poço artesiano que abastece a Penitenciária Agrícola do Monte Cristo (PAMC).

Nilton Sindpol disse que há um descaso do Executivo com a Saúde Pública.  Segundo o parlamentar, os itens que estão em falta para alimentação enteral, feita por meio de sonda, custam em média R$ 1,50 cada. Além disso, segundo ele, não há substância necessária para a realização da alimentação paraenteral, quando o paciente não consegue se alimentar via oral, e é alimentado pelo sangue. “Não é vendida para pessoa física e estava faltando há mais de 15 dias”.

Sobre o abastecimento de água na PAMC, a denúncia é que os presos e funcionários da instituição estariam bebendo desta água contaminada, o que pode acarretar doenças. “É uma situação caótica”, disse o deputado. Em uma garrafa plástica de 2 litros, o parlamentar trouxe o líquido que seria retirado do local da denúncia, onde foi possível notar sujeiras e uma coloração amarelada.

O parlamentar pede que algo seja feito com urgência. “A gente apela para que o Governo do Estado tome providências”, lamentou.

Texto: Bárbara Araújo

Foto: H.Emiliano

SupCom ALE-RR