Dos itens mais básicos até os menos utilizados no ambiente escolar, o Procon Assembleia fez levantamento de preços em papelarias de diversos bairros da capital, para facilitar a vida do consumidor na hora da compra. Na segunda pesquisa feita neste mês, é possível constatar diferenças de até R$20 entre os estabelecimentos pesquisados, considerando a variação da marca de cada produto.

A pesquisa desenvolvida pelo Procon Assembleia foi formulada para orientar o consumidor e facilitar a decisão sobre melhor local para realizar as compras, gerando a possibilidade de economia para o boa-vistense. O levantamento será feito semanalmente até o fim de janeiro.

Na parte de produtos infantis, a massa de modelar de uma mesma marca pode variar de R$ 1,50 a R$ 5,00 entre uma loja e outra. Ou seja, com o preço de um seria possível comprar quase quatro caixas em outro estabelecimento.O mesmo acontece no caso da tesoura, que oscila entre R$ 2,00 e R$ 3,99, chegando ao dobro do valor.

O estojo de caneta, mais utilizado por adolescentes e universitários, pode ser encontrado por R$ 4,50 ou R$ 13,40, dependendo da marca e tamanho desejados. Comparando os resultados da primeira para a segunda pesquisa, as diferenças são ainda maiores. Uma calculadora pode ser encontrada de R$8 a R$31.

Segundo o diretor do Procon Assembleia, Jhonatan Rodrigues, a sociedade está cada vez mais atenta às diferenças de preços. “Mais uma vez o Procon Assembleia vem orientando os consumidores, divulgando pesquisas de preço e as zonas onde podem comprar e economizar. Essa é uma das ações que serão intensificadas até o final do mês de janeiro.”

Após orientação do Procon Assembleia, também foi percebido aumento no número de denúncias em relação a itens que não devem ser cobrados por escolas particulares. Tanto os dois levantamentos de preços de materiais escolares, quanto a lista de itens que não devem ser cobrados pelas escolas pode ser conferida no site da Assembleia Legislativa. (al.rr.leg.br

)

Texto: Mayara Padilha

Foto: Alfredo Maia

SupCom ALE-RR