Mais de 30 instituições e autoridades participaram de uma audiência pública virtual sobre o combate à covid-19 realizada pela Assembleia Legislativa de Roraima na tarde desta quarta-feira (17). As informações coletadas vão ajudar o Poder Executivo a prosseguir com as ações de combate à pandemia. Durante a audiência, o governador Antonio Denarium anunciou o início das atividades do Hospital de Campanha para esta quinta-feira (18).

Sobre os impasses para a abertura do Hospital de Campanha, o governador Antonio Denarium salientou que mesmo sem a unidade, os pacientes de covid-19 estão recebendo todo o apoio para o tratamento, considerando a estrutura atual. Disse que além do Hospital Geral de Roraima, foram destinados leitos específicos no Hospital das Clínicas e na rede privada de saúde. Falou também que a verba de R$ 48 milhões repassada pelo Governo Federal será usada para pagar os profissionais que vão trabalhar no Hospital de Campanha e para comprar mais equipamentos, medicamentos e outros insumos. “Assim a gente poderá atender a demanda da pandemia e fazer o atendimento à toda a população”.

O presidente da Assembleia Legislativa, Jalser Renier (SD) conduziu o evento diretamente do plenário da Casa Legislativa, enquanto os demais convidados participaram por videoconferência. Ele explicou que a audiência pública teve o principal objetivo de informar a população sobre todas as ações de controle da pandemia realizadas pelo poder público ligadas ao setor da saúde. O parlamentar classificou o evento como histórico por ter reunido as principais autoridades ligadas ao tema. “Estamos trabalhando pra isso, para que possamos dar esse passo importante na direção de salvar vidas e de melhorar a vida das pessoas”.

Direto de Brasília, o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, que já coordenou a Operação Acolhida, foi quem abriu a audiência. Ele parabenizou a iniciativa de proporcionar um debate mais amplo sobre o assunto. Frisou que com o efetivo funcionamento do Hospital de Campanha, que é fruto de convênio entre o Exército e o Governo do Estado, além de parceiros, os pacientes de covid-19 vão receber tratamento adequado e o Hospital Geral de Roraima vai ser desafogado. “Tenho certeza que o General Barros [atual coordenador da Operação Acolhida] está fazendo de tudo para concluir os trabalhos do Hospital de Campanha para colocá-lo para funcionar imediatamente”.

O general Manoel Barros confirmou que o Hospital de Campanha deve passar a funcionar efetivamente nesta quinta-feira (18). Ele explicou que o Exército ficou encarregado da estruturação do local, na prestação de serviços de apoio, que incluem alimentação e limpeza. De acordo com ele, o principal empecilho era a falta de corpo clínico. Ele exemplificou que para os 80 leitos construídos inicialmente, são necessários 385 profissionais de saúde.

O secretário de saúde de Roraima, Marcelo Lopes, que assumiu o cargo há 11 dias, detalhou suas primeiras ações. Enfatizou que tem dialogado com os prefeitos para traçar um plano emergencial de contenção da covid-19. Ele disse que o Estado está adquirindo novos testes rápidos e elaborando protocolos de atendimento para os pacientes, além de estratégias de testagem em massa da população. Ele pontuou que Roraima quase dobrou o número de leitos de UTI, passando de 20 para 38 em curto prazo de tempo. Ao todo, o estado também conta com 40 leitos de semi-UTI.

Entidades parabenizam iniciativa de discussão do assunto

A presidente do Conselho Regional de Medicina de Roraima, Rosa Leal, e o presidente do Sindicato dos Enfermeiros, Melquisedeque Menezes, ressaltaram que esse debate era necessário. Rosa Leal se dirigiu ao presidente da Assembleia Legislativa: “Esse era um sonho nosso, ser ouvidos por todos os parlamentares e demais autoridades”.

Menezes ressaltou que os enfermeiros estão na linha de frente no combate ao novo coronavírus. Pediu que o Estado providencie a estrutura necessária para que os profissionais de saúde possam trabalhar com segurança. “A nossa luta é para salvar vidas. Estamos aqui imbuídos porque cada segundo é importante”.

Entre os principais participantes da audiência pública estiveram:

Governador de Roraima – Antonio Denarium;

Ministro interino da saúde – General Eduardo Pazuello;

Coordenador da Operação Acolhida – General Manoel Barros;

Corregedor-Geral do Tribunal de Justiça de Roraima – Desembargador Almiro Padilha;

Secretário de Saúde de Roraima – Marcelo Lopes;

Presidente do Conselho Regional de Medicina – Rosa Leal;

Procurador de Justiça – Edson Damas

Representante do Sindicato dos Médicos de Roraima – Murilo Sena;

Presidente do Sindicato dos Enfermeiros de Roraima – Melquisedeque Menezes;

Presidente da Ordem dos Advogados de Roraima – Ednaldo Vidal;

Defensor público-geral – Stélio Denner;

Presidente do Tribunal de Contas de Roraima – Cilene Salomão;

Presidente do Tribunal Regional Federal da 1 Região – Helder Girão Barreto;

Reitor da Universidade Estadual de Roraima – Regys Freitas;

Senadores: Chico Rodrigues e Telmário Mota;

Deputados federais: Ottaci Nascimento; Haroldo da Cathedral; Shéridan; Jhonatan de Jesus; Antonio Nicoletti; Joênia Wapichana; Hiran Gonçalves.

Deputados estaduais: Nilton Sindpol, Renan Filho, Chico Mozart, Marcelo Cabral, Gabriel Picanço, Betânia Almeida, Tayla Peres, Catarina Guerra, Ione Pedroso, Marlon da Mirage, Neto Loureiro, Lenir Rodrigues e Aurelina Medeiros.

Texto: Otacílio Monteiro

Foto: Tiago Orihuela

SupCom ALE-RR