Pular para o conteúdo

PEDIDO DO RELATOR
CPI da Saúde ouvirá mais cinco pessoas para conclusão de relatório

A pedido do relator, deputado Jorge Everton (sem partido), a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Saúde, da Assembleia Legislativa de Roraima, ouvirá mais quatro pessoas para prestarem esclarecimentos, nos dias 9 e 10 de novembro, a partir das 15h, no Plenário Noêmia Bastos Amazonas. A decisão ocorreu em reunião nesta quinta-feira (4).

 

O presidente da comissão, deputado Coronel Chagas (PRTB), apresentou requerimento para inclusão do nome de Jean Frank Padilha como o quinto a ser ouvido pelo grupo. Na primeira convocação, ele apresentou atestado médico para não comparecer à CPI.

 

Conforme Jorge Everton, o pedido para as oitivas ocorreu após a devolutiva dos processos encaminhados à Polícia Civil, em março deste ano, para quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico de dez investigados, sendo sete empresas e três pessoas físicas.

“Constatamos situações que carecem de uma investigação maior e gostaria que fizesse novamente a oitiva do sócio da CMOS Drake, referente à compra de respiradores, dos senhores Valmir José Freire ME, André Luiz de Almeida, proprietário da Nova Médica, e Érick [Barbosa], representante da empresa Femax”, disse durante a reunião.

O requerimento foi aprovado pelos deputados Renato Silva (Pros), Nilton Sindpol (Patri), Coronel Chagas e Evangelista Siqueira (PT). “De antemão, adianto que se faz necessário, já com as análises preliminares da quebra de sigilo bancário para que a gente possa dar continuidade às investigações”, defendeu Jorge Everton.

Em 26 de setembro, a CPI da Saúde recebeu o relatório produzido pela Polícia Civil. O documento foi encaminhado ao relator para análise e, no prazo de sete dias, apresentação de resultado pela necessidade de mais oitivas ou conclusão do relatório final da comissão.

“Para que ele possa concluir o relatório, é necessário ouvir ainda algumas pessoas. Foi informado ainda pelo relator que, após ouvi-las, estará em condições de apresentar o documento e poderá ser definida uma data até o fim deste mês”, explicou Chagas.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Marley Lima

SupCom ALERR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0