Pular para o conteúdo

‘16 DIAS DE ATIVISMO’
Assembleia Legislativa faz panfletagem em Boa Vista pelo fim da violência contra mulher

Mais de 600 mulheres procuraram a Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), por meio da Procuradoria Especial da Mulher, para denunciar casos de violência doméstica, somente neste ano. Os dados alarmantes acendem o alerta para a necessidade de políticas públicas para erradicação desse tipo de crime.

Essa é a proposta das manifestações simultâneas ocorridas nesta terça-feira (30) na Praça do Centro Cívico, em frente ao prédio da ALE-RR, e na Avenida Mário Homem de Melo, em referência à campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”, quando foram distribuídos panfletos de conscientização e apoio às vítimas.

A iniciativa é da procuradora especial da Mulher, deputada Betânia Almeida (PV). Ela ressalta a importância da mobilização. “É uma luta pela erradicação da violência contra a mulher e Roraima não poderia fazer diferente, já que essa luta acontece em todo o país. Trabalhamos fortemente junto ao presidente [da Assembleia Legislativa], Soldado Sampaio [PCdoB], e o Governo do Estado para acabar com essa covardia que assola nossas mulheres”, salientou.

Debates, encontros e outros atos, iniciados em 25 de novembro, seguem até 10 de dezembro. Nesse período, são comemoradas algumas datas importantes ligadas ao tema, entre elas o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres (25 de novembro) e o Dia Internacional dos Direitos Humanos (10 de dezembro).

“Vamos realizar uma live em 9 de dezembro e já estamos promovendo vários podcasts e, até o dia 10, serão diários esses debates. Essas ações são importantes para que possamos promover a conscientização da sociedade sobre esse crime tão recorrente”, afirmou a advogada do CHAME (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), Nanníbia Cabral.

Resistência 

A dona de casa Keylla Souza, de 31 anos, mora no bairro Operário e, mesmo com toda dificuldade, não deixou de participar da panfletagem. Representando o projeto “Resgatando Vidas”, entidade filantrópica que apoia e auxilia pessoas com dependência química, ela considera importante a união de todas as pautas.

“Acho que todas as causas são únicas, pela justiça e pelo fim da opressão. Antigamente, não tínhamos onde pedir ajuda e hoje temos o CHAME, que atende às mulheres violentadas dentro de casa. Temos que nos unir por todas”, explicou.

Unidade no interior 

A Procuradoria Especial da Mulher vai inaugurar nesta sexta-feira (3) mais uma unidade do CHAME, no município de Rorainópolis, a 321 quilômetros de Boa Vista. No local, funcionará uma brinquedoteca e uma sala de leitura para receber os filhos das mulheres atendidas, e uma equipe multidisciplinar também estará à disposição da comunidade.

Os atendimentos podem ser feitos presencialmente ou por mensagem pelo ZapChame, por meio do número (95) 98402-0502. O canal de comunicação funciona 24 horas.

Texto: Kátia Bezerra

Foto: Marley Lima

SupCom ALERR

Compartilhar

Arquivos

0