Pular para o conteúdo

AMPARO E ORIENTAÇÃO
Caminhada na Jaime Brasil divulga ações do Centro Humanitário de Apoio à Mulher

O Centro Humanitário de Apoio à Mulher (CHAME), da Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), promoveu na manhã desta terça-feira (24) uma caminhada na avenida Jaime Brasil com a finalidade de divulgar as ações da instituição.

 

 

 

A procuradora especial da Mulher, deputada Betânia Almeida (PV), participou do evento e falou sobre a importância de se aproximar da população para que esta conheça os serviços oferecidos pelo centro.

 

“Essa caminhada tem como objetivo distribuir panfletos e conversar com as mulheres sobre o enfrentamento e nossa luta contra a violência doméstica e familiar. O trabalho tem sido bem aceito tanto pela população feminina quanto a masculina”, avaliou a deputada.

 

 

 

A parlamentar destacou que ações como essa levam informação útil às pessoas, que podem contribuir para reduzir os altos índices de violência contra a mulher, que no Estado ocupam posição de destaque.

No ano passado, os dados divulgados pelo Atlas da Violência do Fórum Brasileiro de Segurança Pública relativos a 2019, mostram que Roraima, proporcionalmente, liderou o ranking de homicídios de mulheres, quando foram registrados 12,5 assassinatos por 100 mil habitantes. Mesmo tendo apresentado uma queda nas taxas, se comparado ao ano de 2018, quando houve 20,5 homicídios, os números ainda são assustadores.

“Quem não sofreu violência, pode ter presenciado outra pessoa sofrer. Estamos pedindo a essas pessoas que colaborem denunciando, para que a vizinha ou alguém da família, do trabalho não venha a sofrer, pedindo ajuda por meio do telefone do CHAME. É um trabalho lindo que a Assembleia Legislativa tem me permitido fazer, e que a nossa equipe na rua divulga. Se precisar, chame!”, ressaltou.

O CHAME dispõe de duas unidades de atendimento, sendo a sede em Boa Vista, na avenida Santos Dumont, nº 1470, bairro Aparecida. A outra unidade está localizada em Rorainópolis, na BR-174, próximo à rodoviária, a 321 quilômetros da capital.

Os atendimentos ocorrem de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem intervalo para o almoço. O ZapChame ([95] 98402-0502) funciona de domingo a domingo, durante 24 horas, e é mais um canal para a população denunciar casos de violência contra a mulher e buscar orientação.

Conforme detalhou a coordenadora do CHAME, Eliene Santiago, o acolhimento das vítimas de violência doméstica é feito por uma equipe multidisciplinar composta de advogado, psicólogo e assistente social. “Após serem acolhidas, elas são direcionadas aos locais de atendimento”.

A lojista Melory Catherine aprovou a iniciativa do CHAME de levar informações sobre a violência doméstica e, principalmente, orientação para buscar ajuda.

“Achei muito valioso porque, hoje em dia, as mulheres sofrem muitas agressões e julgamentos. Esse é um projeto que as ampara. Elas devem se unir para ganhar força”, afirmou.

Quem também compartilha da mesma opinião é Kátia Nascimento. “Quanto mais a gente se juntar, mais força teremos. A gente precisa disso. Todas unidas!”

Texto: Marilena Freitas

Foto: Jader Souza

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Arquivos

0