Na reta final do curso de Recreação Infantil as aulas práticas têm sido intensificadas. A demanda na área tem aumentado, e poucas pessoas têm capacitação neste ramo, o que pode ser um diferencial para os alunos da Escola do Legislativo Cursos Preparatórios –Unidade Silvio Botelho. Na tarde deste sábado (03), a turma participou de uma oficina de pintura facial, e enquanto as técnicas eram repassadas, os alunos aplicavam o processo.

O instrutor Valdercley Santos ressaltou a importância do cuidado com os materiais usados. “Nós vamos usar uma tinta especifica para rostos e pinceis sensíveis para não machucar o rosto das crianças”.

Além de qualificar aqueles que já trabalham nessa área, o instrutor esclarece que é também uma alternativa para quem procura empreender“Essa oficina vem para que eles [alunos] vejam que também é uma oportunidade de ter uma renda extra. Levar isso para praças shoppings e ambientes onde tem uma movimentação maior de crianças”.

A diretora da Escola do Legislativo, Cristina Mello apontou que tem aumentando a demanda nessa [área, enquanto há poucos profissionais qualificados para atuarem nela. “Trabalhamos com a geração de renda, o aluno vem faz o curso e além do mercado de trabalho sai com essa opção de conseguir um dinheiro extra sozinho”.

Com 18 anos, a estudante Yvone da Silva almeja uma vaga como cuidadora de aluno em concursos públicos, por isso tem destinado seu tempo para qualificações. Para ela, essa é uma forma de sair na frente na hora da seleção. “Eu fiz Libras Básico, agora estou fazendo o intermediário e Educação Especial também [além do curso de Recreação Infantil]. Tudo que envolve a área da educação”.

Enquanto a aprovação não chega, ela estuda para os concursos, e disse que poderá usar o conhecimento adquirido na oficina para conseguir um dinheiro extra. “Isso agrega também para conseguir uma renda extra, além de ser uma forma de levar alegria para as crianças”, acrescentou.

Há um ano no Brasil, a venezuelana Amnelys Villarroel não perdeu tempo, ao ver que não ia conseguir validar o diploma de pedagogia ela procurou cursos de qualificação semelhante à área de atuação dela. A oficina, segundo ela, só vem a agregar ao trabalho que já desenvolve com os Pirilampos (grupo que atua na recreação com crianças em vulnerabilidade) no abrigo Rondon 2.

“A pintura trabalha a criatividade e imaginação dos meninos, eles se sentem essa figura quando a gente pinta eles. Eles necessitam desse afeto, desse carinho e nós procuramos estratégias para fazê-los se sentirem melhor.”

Texto: Bárbara Araújo

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR