Na sessão desta terça-feira (20), os deputados Evangelista Siqueira (PT) e Nilton Sindpol (Patri) usaram a tribuna da Assembleia Legislativa de Roraima para questionar o Governo do Estado sobre a extinção das Escolas Estaduais Professora Zoraide da Gama, localizada no município de São Luiz, e Valério Magalhães, em Caracaraí.

Os parlamentares alegaram que as justificativas do Executivo para o fechamento das unidades de ensino não são cabíveis. O deputado Evangelista Siqueira, que preside a Comissão de Educação, Desportos e Lazer, destacou que a atitude do Governo prejudica os alunos, pois eles são transferidos para escolas longe de casa, gerando mais dificuldades.

Segundo Evangelista Siqueira, o Governo não pode fechar escolas quando há a necessidade de mais educação. “O fato de dizer que tem uma quantidade pequena de alunos não se justifica diante do beneficio que a educação traz. Sem falar que andamos nas comunidades e não faltam alunos, pelo contrário, os alunos têm que estudar em outras escolas, porque o direito de estudar próximo de casa é negado pelo Governo”, comentou.

Nilton Sindpol ressaltou em seu discurso, que o fechamento das escolas na capital e no interior é falta de respeito com a população. “O governador está tirando esse direito que é fundamental ao cidadão, o que mostra que ele está indo contra as promessas de campanha dele”.

Segurança

Nilton Sindpol falou sobre a necessidade de um concurso para a Polícia Civil, tendo em vista, o déficit de integrantes da corporação. “É importante não apenas a questão dos recursos humanos, por meio da contratação de mais pessoas, mas também das ferramentas. Nas delegacias, hoje, não tem condições de fazer um trabalho de excelência, porque não tem nem como registrar um Boletim de Ocorrência”, enfatizou.

O parlamentar citou também o fechamento da delegacia do município de Amajari. “Isso nos entristece. Enquanto de um lado o Poder Legislativo faz o seu papel, o Executivo desfaz”.

O deputado Evangelista também falou da necessidade da realização de concursos públicos para a melhoria da segurança no Estado. “Foi por nossa causa que os concursos das Polícia Militar e Civil terão prosseguimento e não foi pelo governador, porque foi ele mesmo quem cancelou os concursos”, concluiu.

Texto: Jéssica Sampaio

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR