Parlamentares que compõem a base governista na Assembleia Legislativa aproveitaram a sessão plenária desta terça-feira (22) para repudiar o vazamento do áudio de conversa da deputada Catarina Guerra (SD) com governador do Estado, Antônio Denarium (PSL). Os parlamentares pediram que o fato seja investigado.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Soldado Sampaio (PCdoB), defendeu a companheira de base, deputada Catarina Guerra. “É caso de polícia, tem que ser apurado, eu estava na mesa e já coloquei meu telefone à disposição para contribuir”.

Catarina Guerra também usou a tribuna e ao ler um discurso, destacou que faz parte da base aliada do Governo do Estado, mas que não é traidora. “Não tenho postura de traidora, porém tudo há limite. Hoje estou sim aliada ao governo, mas amanhã posso não ser, pois estarei do lado de quem realmente quer trabalhar pelas pessoas”, enfatizou. Em apoio, a deputada Tayla Peres (PRTB) reforçou que o áudio foi editado e que a conversa não teria o sentido apresentado ao público.

Já o deputado Marcelo Cabral (MDB) defendeu que a união dos parlamentares é importante para fortalecer o Estado e aprovar na Casa Legislativa projetos que beneficiem a população. Destacou que o ponto em comum deve ser o foco no cuidado com os roraimenses. “Temos uma coisa maior chamada Roraima, que precisa de todos nós”. Apesar da divergência entre os deputados, Marcelo Cabral ponderou. “Roraima precisa de união e trabalho”.

Aurelina Medeiros também lamentou o vazamento dos áudios e falou ainda sobre a votação de projetos do Executivo na Casa. “Estou assistindo esse embate pequeno que termina em uma coisa grande. Não cabe a gente decidir o projeto que chega aqui, cabe a nós colocarmos em pauta, votar e aprovar ou não.”

Base governista

Durante a sessão, o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Soldado Sampaio (PCdoB), apresentou uma lista com 16 nomes de deputados que, segundo ele, compõem a Base Governista na Casa.

Foto: Eduardo Andrade e Jader Souza

SupCom ALE-RR