Duas vezes por semana, a estudante Neydaianne Queiroz, de 34 anos, acorda às 4 horas, e percorre 400km, somando ida e volta de Pacaraima, para estudar na Escola do Legislativo em Boa Vista. Mesmo com a distância, ela já cursou espanhol e informática na instituição.

A jovem mora na comunidade São Jorge, na região Surumu, na terra indígena Raposa Serra do Sol, mas isso não a impede de investir em seus objetivos. “Estou em busca dos meus sonhos, aprender várias línguas porque futuramente quero ser uma diplomata”, explicou.

A estudante diz que faz de tudo para não perder uma aula do curso de espanhol avançado. “Me sinto orgulhosa de ser mais uma indígena que conclui um curso na Escola do Legislativo”, comemorou.

Neydaianne foi uma das alunas que recebeu um dos 3.600 certificados entregues pela Escola do Legislativo na noite nesta terça-feira (5). Foram 89 cursos de capacitação e idiomas realizados desde 2018.

O presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, Jalser Renier (SD), conduziu a certificação e conta que este foi um momento de alegria. “Hoje é um momento de felicidade. Mais de três mil pessoas estão recebendo os certificados dos cursos da Escola do Legislativo. Isso significa que estamos no caminho certo”. Os deputados Betânia Almeida (PV), Odilon Filho (Patriota) e Ione Pedroso (SD) também participaram do evento.

Libras

Além da certificação, a Escola do Legislativo realizou o I Encontro de Libras, com apresentação de músicas e poemas em Língua Brasileira de Sinais, com participação dos alunos de Alto Alegre, Caracaraí, Mucajaí, Rorainópolis e Boa Vista.

Na solenidade, a Escola do Legislativo anunciou duas novidades, o lançamento do curso de Libras avançado, que será ofertado no começo de 2020, e a criação de uma cartilha sobre essa língua.

“A cartilha de Libras vem fazer esse diferencial, vai atender a capital e os municípios. Uma proposta para levar ao centro de pessoas com deficiência auditiva, e divulgar em parceria com a Universidade Federal de Roraima”, explicou a diretora da Escola do Legislativo, Cristina Mello.

Atualmente na Escola são ofertados nesta modalidade os níveis básico e intermediário. Desde 2018, mais de 1.200 estudantes passaram pela qualificação em Libras na capital e no interior.

Texto: Vanessa Brito

Foto: Isaías Amaral e Jader Souza

SupCom ALE-RR