Atividade faz parte da programação do Chame, que aderiu à campanha internacional contra estes crimes

“Meu pai, vejo-te como um monstro, cruel, covarde, que destruiu nossos sonhos. Mãe não chora, eu amo a senhora. Vamos sair dessa casa, vamos embora!”, esse é um trecho do poema Maria, Mãe, Mulher, do autor Paulo Diego Brasil. A obra retrata os pensamentos de um bebê que sofre na barriga da mãe, vítima de violência doméstica.

A obra foi uma das lidas no sarau cultural para chamar atenção da população para a violência doméstica, na última sexta-feira (29), na Plataforma 8. Uma iniciativa da Procuradoria Especial da Mulher (PEM), por meio chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), que aderiu à campanha internacional “21 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher”.

A assistente social do Chame, Juliana Castelo, apresentou o poema aos participantes, para tocar as pessoas sobre um tema delicado, de um jeito leve, usando como ferramenta a arte literária. “Muitas vezes as pessoas têm a ideia que a violência doméstica é simplesmente caracterizada apenas contra a mulher, mas essa mulher está no meio de uma família, que engloba filhos, pais, tios, todas pessoas no seio familiar”, disse.

O poema prendeu a atenção da servidora pública Iara Loureto, que conta que a forma de receber a informação sobre a violência doméstica, por meio de sarau é criativa. “Uma iniciativa brilhante do Chame. Achei os poemas relevantes, até porque todos os dias a gente ver nos jornais várias mulheres que são mortas, vítimas da violência”, explicou.

No sarau, houve poesias e poemas sobre violência doméstica, com mensagens sobre como identificar e denunciar estes casos, apresentada pela equipe do Chame. Também teve música conduzida pelo cantor Alisson Cristian, conhecido pelas canções autorais.

A coordenadora do Chame, Elizabete Brito, explica que a instituição atua no acolhimento das vítimas e na prevenção, com palestras, panfletagem, e desta vez, com um sarau, para chamar atenção da população. “Nosso trabalho é levar a prevenção, e de atender. A gente precisa informar a população sobre os tipos de violência doméstica e como sair deste ciclo”, explicou.

Programação

O Chame aderiu à campanha “21 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra a Mulher”, e segue com uma programação na capital e no interior, até o dia 10 de dezembro, com orientação nas escolas, empresas, também em Rorainópolis e Caracaraí. Na próxima segunda-feira (2), haverá uma roda de conversa com pacientes no setor de oncologia do HGR (Hospital Geral de Roraima), às 8h.

Texto: Vanessa Brito

Foto: H. Emiliano

SupCom ALE-RR