Com o fim do recesso parlamentar, a CPI (Comissão de Inquérito Parlamentar) da Saúde retomou os trabalhos na manhã de terça-feira (18). Na primeira reunião deste ano, uma das ações definidas foi a convocação do ex-titular da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Allan Quadros Garcês, para prestar esclarecimento sobre atuação na pasta. Pela tarde, os membros fizeram uma diligência no Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, para apurar denúncias recebidas da população.

A deputada Lenir Rodrigues (Cidadania) e os deputados Nilton Sindpol (Patri) e Jorge Everton (MDB) caminharam pelos blocos para ouvir os pacientes e os familiares. A diligência na maternidade foi uma solicitação do deputado Renato Silva (Republicanos), que também participou da visita. “Muitos equipamentos enferrujados, muitas salas sem funcionar por não terem aparelhos, as portas estão caindo, no local de trabalho está claro que não tem qualidade, médicos estão abandonando o serviço por conta disso”, detalhou o parlamentar.

As informações coletadas na diligência serão apuradas e, farão parte de um relatório, que será apresentado na próxima reunião aos demais membros. Se forem encontrados indícios de irregularidades, a comissão poderá convocar envolvidos para novos esclarecimentos.

Secretários

Em reunião pela manhã, logo após sessão solene de abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa, o presidente da comissão, Coronel Chagas (PRTB), explicou que a alta rotatividade de secretários na pasta preocupa a comissão. O então secretário de saúde, Allan Quadros Garcês, foi exonerado na última sexta-feira (14), após apenas 40 dias de trabalho e, quem atua de forma interina é o adjunto Francisco Monteiro, que também será convocado. “Há notícias publicadas na imprensa que a exoneração se deu dois dias após ele informar que estava auditando alguns contratos daquela pasta”, explicou Chagas.

Os deputados afirmaram que mesmo durante o recesso parlamentar, não pararam de analisar os 20 processos referentes aos últimos cinco anos de gestão da pasta. Na reunião, o relator da CPI, Jorge Everton (MDB), solicitou uma oitiva na primeira semana de março, com fiscais, coordenadores e pregoeiro de mais um processo referente a 2015.

“A CPI não parou, nós continuamos analisando os processos. Cada deputado ficou com um processo, fez uma análise prévia. Já solicitei oitiva de coordenadores, fiscais e pregoeiro, para que a gente possa dar andamento no material colhido e fazer diligências”, explicou o relator.

Na reunião, os deputados analisaram documentos solicitando da Sesau, cópias de contratos com uma empresa terceirizada, e um levantamento de profissionais de saúde com atuação desde 2015. Os parlamentares frisaram que a CPI também analisará demandas atuais, e para isso, reforçará as diligências nas unidades de saúde para ouvir a população. Também está prevista visita para apurar a situação dos detentos na Penitenciária Agrícola Monte Cristo, devido a repercussão de notícias do histórico de doenças e possível precariedade no atendimento.

No encontro estavam presentes os deputados Nilton Sindpol (Patri) como vice-presidente, Soldado Sampaio (PC do B), Lenir Rodrigues (Cidadania), Renato Silva (Republicanos). Também faz parte da comissão o parlamentar Evangelista Siqueira (PT).

Texto: Vanessa Brito

Foto: Jader Souza e H. Emiliano

SupCom ALE-RR