Conforme a Polícia Militar de Roraima, as ocorrências de violência doméstica cresceram nesse momento de isolamento social. Para reduzir este índice, o CHAME (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) reforça que o Zap Chame (95 98402-0502), serviço de orientação pelo WhatsApp, está disponível para auxiliar vítimas a denunciarem este crime.

Embora não tenha quantificado este aumento, o comandante da Polícia Militar, coronel Elias Santana, explicou que as ocorrências de violência contra a mulher já são as mais frequentes em outros períodos, mas pontuou que nos últimos dias esse número cresceu ainda mais.

“Nos últimos dias com a questão do isolamento social, nós tivemos uma curva acentuada de aumento nas ocorrências envolvendo conflitos domésticos, em especial a Maria da Penha. Já é a nossa ocorrência com maior incidência, mas que em função da quarentena, ganhou amplitude de números”, afirmou.

Em uma semana, o ZapChame atendeu quatro vítimas, e destas, três foram encorajadas a registrar um boletim de ocorrência, por sofrerem violência psicológica e física, na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam).

De acordo com o art. 5º da Lei Maria da Penha, violência doméstica e familiar contra a mulher é “qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial”.

Segundo a coordenadora do CHAME, Elizabete Brito, durante o isolamento social, a família ou casal passam mais tempo convivendo, e podem surgir conflitos nos lares, até a prática de algum tipo de violência. Neste contexto, ela encoraja as mulheres a pedirem ajuda. “Então, se você estiver vivenciando algum tipo de violência seja psicológica, física ou queira apenas esclarecer alguma dúvida, envie uma mensagem para o Zap Chame. A equipe está pronta para atendê-la.”

A população pode enviar mensagens ao Zap Chame, aplicativo WhatsApp, pelo número (95) 98402-0502. O denunciante pode optar pelo anonimato. O serviço funciona 24 horas, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Se for detectado um caso urgente, a vítima será encaminhada para a Delegacia de Defesa da Mulher, que possui uma equipe de plantão.

A ferramenta é administrada por cinco plantonistas, treinadas para identificar cada ocorrências e encaminhar aos órgãos competentes. Por meio desse serviço, é prestado todo auxílio, desde o suporte psicológico até o jurídico. Os atendimentos presenciais do CHAME estão suspensos, como medida de prevenção a Covid-19, determinado pela Assembleia Legislativa de Roraima.

Outros mecanismos de denúncia

Disque 180

Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180. A ligação é gratuita e confidencial, funciona 24 horas por dia, no Brasil e em outros países.

Polícia Militar

A vítima ou testemunha pode pedir ajuda por meio do telefone 190.

Delegacia Especializada em Atendimento a Mulher (Deam).

A Delegacia funciona na Casa da Mulher Brasileira, onde a mulher pode registrar um boletim de ocorrência. A instituição também recebe demandas de outras delegacias e órgãos. Telefone (95) 98108-6310.

Texto: Vanessa Brito

Foto: Arquivo

SupCom ALE-RR