A preocupação com os idosos tomou conta da sociedade desde o início dos anúncios de disseminação do coronavírus pelo mundo. Mas para manter pessoas da terceira idade em casa é preciso se atentar para garantir um ambiente seguro e saudável para enfrentar este período de isolamento social.

A mãe da advogada Sara Patrícia Farias, dona Júlia Farias, tem 82 anos. Na década de 1970 teve tuberculose e como consequência teve um dos pulmões comprometido. Por isso, os cuidados são reforçados no momento em que toda a família está em casa.

“Ela é muito ativa, não fica quieta, nem parada e isso é bom pra ela”, conta Sara. E quanto aos riscos do coronvírus, ela disse que a mãe se mantém informada e mantém a fé. Quando alguém precisa sair, dona Júlia vai para o quarto e aguarda o momento em que a pessoa se higieniza, toma banho e organiza a casa para, então, voltar a circular pelos cômodos.

“A pessoa idosa da família é o seu bem mais valioso, é a sua origem, sua lembrança, os ensinamentos, a experiência de vida e é importante os cuidados com eles”, destaca Sara Patrícia.

Assim como Sara, a família de Mayara Simas tem redobrado a atenção com Ester Alves Castro, de 99 anos. “Não está sendo fácil, mas estamos tomando todos os cuidados possíveis com ela”, disse em uma rede social. Ela ressalta que a bisavó passa boa parte do tempo no quarto, sala ou as vezes sai para o quintal. “Estamos em Manaus e as coisas estão cada vez mais sérias aqui”.

Cuidados

A professora do curso de Cuidados com a Pessoa Idosa, da Escola do Legislativo Cursos Preparatórios, da Assembleia Legislativa de Roraima, Alessandra Lima, ressalta a importância de manter a segurança para evitar acidentes domésticos, principalmente nesta época em que o isolamento social busca preservar a saúde destas pessoas.

Entra as dicas de Alessandra está a de evitar tapetes soltos; não tirar os móveis do lugar habitual. “Garanta área de passagem livre de mesas de centro, plantas ou outros objetos que possam representar obstáculos”, pontuou.

Também é indicado manter fios elétricos e extensões bem afixadas; bancos ou cadeiras, de preferência, com braços para apoio; limpar imediatamente algum líquido derramado no caminho, para evitar escorregões; tornar acessíveis os utensílios usados no dia a dia; e ter a casa bem iluminada.

Para garantir a saúde destas pessoas, o ideal é manter menos contato possível. Alessandra lista ainda outras orientações importantes como: higienizar bem as mãos com água e sabão, ou álcool gel 70%; evitar contato físico e demonstrações de afetos como apertos de mãos, abraços ou beijos; cobrir o rosto ao tossir ou espirrar. Ao sair, procure não entrar com o calçado em casa, limpe sacolas e compras, abra as janelas e mantenha sempre um ambiente arejado.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: Jader Souza

SupCom ALE-RR