Pular para o conteúdo

A SOLIDARIEDADE É LARANJA
Assembleia Legislativa adere à campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”

O prédio do Poder Legislativo estadual será iluminado na cor laranja até 10 de dezembro para marcar os “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, uma campanha coordenada pela ONU (Organizações das Nações Unidas). Em Roraima, a iniciativa partiu da deputada Yonny Pedroso (SD), responsável pelo Requerimento nº 162/2021, que trata da iluminação da área externa da Assembleia Legislativa (ALE-RR)

“Solicitei à Mesa Diretora que iluminasse o prédio de laranja, porque essa é a cor mundial alusiva ao combate à violência doméstica. ‘Pinte o mundo de laranja’ é uma das vertentes desta campanha. Nosso objetivo é conscientizar todas as pessoas que passam pela Assembleia durante a noite, vejam a iluminação e comecem a fazer parte dessa luta”, disse a parlamentar.

Ela destaca ainda que a violência doméstica aumentou desde o início da pandemia. “A covid-19 exacerbou fatores de riscos de violência contra as mulheres e meninas, e reforçou causas básicas, como estereótipos de gênero, por isso a importância de ações integradas”.

Yonny Pedroso vem promovendo, desde o início do mandato, uma programação para encorajar as mulheres a denunciar qualquer tipo de violência. Em 2009, foi aprovada a Lei nº 1.345, de sua autoria, que institui o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio, a ser comemorado, anualmente, em 9 de março.

Em julho deste ano, foi sancionada a Lei nº 1.486, também da deputada, que veda a nomeação para cargos em comissão de pessoas que tenham sido condenadas com base na Lei Federal nº 11.340, que criou mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra as mulheres, no âmbito de Roraima.

Campanha

Os “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” é uma campanha anual e internacional coordenada pela ONU, que começa em 25 de novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, e vai até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Atualmente, cerca de 150 países desenvolvem a campanha dos 16 Dias de Ativismo. No Brasil, ela acontece desde 2003 por meio de mobilizações e esclarecimento sobre o tema. Neste ano, a campanha criada para dar mais visibilidade às questões que envolvem a prevenção e a eliminação da violência contra mulheres e meninas, completa três décadas de mobilização internacional.

As Nações Unidas definem a violência contra as mulheres como “qualquer ato de violência de gênero que resulte ou possa resultar em danos ou sofrimentos físicos, sexuais ou mentais para as mulheres, inclusive ameaças de tais atos, coação ou privação arbitrária de liberdade, seja em vida pública ou privada”.

Em 2021, a ONU está abordando o tema “Pinte o mundo de laranja: fim da violência contra as mulheres, agora!”. O objetivo é desconstruir comportamentos sociais e culturais que exaltem a violência, trazer os homens e os meninos para participarem dessa luta e mostrar que esse é um problema de todos.

Dados alarmantes 

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), uma em cada três mulheres no mundo já foi vítima de alguma violência de gênero durante a vida. O Instituto Maria da Penha (IMP) divulgou pesquisa alertando que a cada 7,2 segundos uma mulher sofre agressão física no país.

Hoje, portanto, 12 mil mulheres foram/serão agredidas. Outras 33 mil sofrerão ofensas verbais e mais de 5 mil vão ser ameaçadas com facas ou armas de fogo. Ainda hoje, segundo o levantamento, 12 mulheres serão assassinadas. E de acordo com o Atlas da Violência de 2021, a violência doméstica é um dos principais fatores da morte de mulheres no Brasil.

Foto: Marley Lima

SupCom ALERR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0