Pular para o conteúdo

Izaias Maia exige do governo federal solução para questão energética de Roraima

O deputado lembrou que os municípios de Bonfim e de Normandia passam até cinco dias sem energia e os empresários em todo o Estado sofrem com esse descaso.

O deputado Izaias Maia (PTdoB) usou a tribuna nesta quarta-feira, 22, para tratar novamente sobre a questão da energia elétrica do Estado. Ressaltou que o governo federal liberou R$ 13 bilhões, sendo R$ 7 bilhões para investimentos em energia elétrica, mas que o Estado de Roraima não foi contemplado com esses recursos.

“Vários estados do país receberam alguns bilhões, mas o governo transitório, que enganou pela primeira vez a população de Roraima em outubro, quando prometeu para deputados e o governo do Estado que resolveria a situação da energia e nada resolveu, não mandou um tostão para Roraima”, ressaltou.

Ele lembrou que os municípios de Bonfim e de Normandia passam até cinco dias sem energia e que os empresários em todo o Estado, seja de pequeno, médio ou de grande porte, sofrem com esse descaso.

“Os empresários, sem energia confiável, estão indo embora daqui porque acreditam que Roraima não tem futuro, deixando trabalhadores desempregados, e a miséria vai tomando conta do Estado”, disse, ao ressaltar que a cada dia chegam mais venezuelanos para engrossar esse quadro de desemprego.

O deputado Jorge Eventon (PMDB) ressaltou que, de fato, houve uma mobilização por parte do Estado, e que na época o presidente Michel Temer era vice-presidente e havia se comprometido ser o embaixador na causa da energia elétrica no Estado de Roraima.

Na última visita, Everton disse que cobrou novamente o empenho do governo. “Disse-lhe que agora ele é o presidente do País e que assumisse o compromisso com o povo de Roraima. Sei que a esperança do nosso povo é grande, mas eu acredito na palavra dele e vamos continuar cobrando”, afirmou, ao ressaltar a importância da união dos parlamentares independentes de bandeira partidária para solucionar esse impasse.

Izaias lembrou que houve um comprometimento e que a cada dia a situação energética piora. “Com todo respeito aos parlamentares, mas não acredito na palavra do governo federal, principalmente quando ouço que esse é um governo transitório”, justificou.

Por Marilena Freitas
SupCom/ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0