Depois de receberem as informações, os profissionais trabalharão o conteúdo em sala de aula na Escola Estadual Tancredo Neves

Saber identificar casos de tráfico humano e exploração sexual são fundamentais para combater este tipo de crime. Na Escola Estadual Tancredo Neves, professores e trabalhadores em educação passaram por uma capacitação promovida pelo projeto Educar e Prevenir, da Assembleia Legislativa de Roraima e trabalharão o assunto em sala de aula até o fim desta semana.

Na capacitação, realizada nesta terça-feira (14), a equipe orientou estes profissionais sobre a legislação relacionada ao tráfico de pessoas e o funcionamento da rede de enfrentamento a este crime. Para a orientadora escolar, Valcilene Teixeira, essas palestras ajudarão a identificar estes crimes e a melhor forma de abordar possíveis vítimas de abuso sexual ou de outras ocorrências. “Todos nós somos educadores e precisamos desenvolver esse olhar diferenciado, para evitar maiores problemas”, disse.

A gestora da Escola, Vilma Rufino, explica que essa capacitação vai fortalecer ainda mais o trabalho de orientação escolar, principalmente no atendimento aos adolescentes. “Todos os funcionários da escola são educadores, desde o porteiro até os professores. Eles saberão divulgar e identificar os casos na escola”, explicou.

Para finalizar a ação na unidade escolar, na sexta-feira (17) haverá uma roda de conversa com apresentação de trabalhos e a participação representantes das instituições que compõem a Rede de Proteção.

Projeto Educar e Prevenir

Em dois anos, o Projeto Educar é Prevenir alcançou mais de 4 mil alunos de 22 escolas na Capital, e cinco do interior. Nesse período, o coordenador do projeto, Glauber Batista, relata que a equipe recebeu muitos depoimentos de professores e relatos de vítimas sobre casos de abuso sexual.

Ele alerta que pode estar havendo uma subnotificação dos casos, ou seja, muitas vezes o crime acontece, mas não é denunciado. “O principal objetivo do projeto é trazer a prevenção para dentro das escolas. Temos que trabalhar com isso para diminuir estes crimes no Estado”, explicou.

O projeto Educar é Prevenir é desenvolvido pelo Núcleo de Promoção, Prevenção e Atendimento às Mulheres Vítimas de Tráfico de Pessoas, da Procuradoria Especial da Mulher, ligada ao Poder Legislativo. A sede funciona na avenida Ville Roy, nº 5717, sala 208, no Centro de Boa Vista. Mais informações pelo 3624-8073.

Texto: Vanessa Brito

Foto: Alfredo Maia

SupCom ALE-RR