Estar em paz com o próprio corpo pode evitar problemas físicos e emocionais. Foi com este foco que a sexóloga Maíne Ferreira ministrou uma palestra em um evento promovido pelo Núcleo de Mulheres na Política, da Assembleia Legislativa. A ação voltada para as servidoras ocorreu nesta terça-feira (30), na Procuradoria Especial da Mulher.

Durante o encontro, foram abordados assuntos sobre repressão sexual, a composição do órgão genital feminino, entre outros temas ligados à saúde feminina. Maíne explica que a sexualidade está presente em todos os períodos da vida e é uma das grandes responsáveis pela maneira como ocorre o relacionamento com outras pessoas.

“Informação e educação sexual de qualidade são fundamentais desde a infância, para o desenvolvimento de pessoas emocionalmente saudáveis. Uma mulher que se conhece bem é feliz em todos os aspectos da vida”, destaca.

A pedagoga Cleonice Falcão estava na plateia e se manteve atenta à palestra. Ela aproveitou a oportunidade para sanar dúvidas sobre o assunto. “Consegui informação sobre situações do dia a dia que, muitas vezes, temos vergonha de falar. Com essa palestra, absorvi informações sobre meu corpo e com isso serei mais feliz em todos os aspectos”.

A coordenadora do Núcleo de Mulheres Indígenas na Política, Maria do Anjos, também esteve presente no evento. E, para ela, o assunto que mais chamou a atenção foi a questão das crenças impostas

pelos pais sobre sexualidade. “Esse evento traz muito conhecimento; aqui, vemos como existe ainda muito tabu sobre a sexualidade feminina. Precisamos nos conhecer mais, isso ajuda inclusive na educação sexual dos nossos filhos”, disse.

Para a coordenadora do Núcleo de Políticas para as Mulheres, Bruna Silveira, a palestra foi de grande importância para que as mulheres entendam mais sobre as mudanças do próprio corpo e, assim, também possam se tornar multiplicadoras desse conhecimento. “O evento foi um sucesso.  Estamos aqui para trabalhar com mulheres que desejam se empoderar e, para isso, é necessário ter conhecimento sobre diversos assuntos que as envolvem”

Participaram do evento servidoras do Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher) e dos Núcleos de Tráfico de Pessoas e Reconstruir.

Texto: Sueda Marinho

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR