Para conferir de perto denúncias feitas pela população ao programa Fiscaliza Roraima, da Assembleia Legislativa, uma equipe técnica realizou vistoria em três pontos da Capital na manhã desta quinta-feira (14).

Uma das visitas foi feita no bairro Operário, onde moradores reclamam da falta de pavimentação na rua Elifas Levi Veloso Filho.  A comerciante Sueli Ribeiro mora no local há quatro anos, e comentou que todos os anos eles têm que comprar carradas de barro para cobrir os buracos que se formam no período de chuva.

“Nós tiramos dinheiro do nosso bolso para comprar algumas carradas de barro para tapar os buracos na rua, pois sempre que chove a rua alaga e vira um lamaçal. Eu entrei em contato com a prefeitura algumas vezes, mas agora eu espero que tudo seja resolvido”, contou.

Durante a visita foi constatado não somente a falta de pavimentação na rua, que torna a via intrafegável no inverno, mas também um acúmulo de águas que pode gerar a proliferação de doenças, além do desconforto causado pelo mau cheiro.

O superintendente de Fiscalização da Assembleia Legislativa de Roraima, Gefster Chagas, afirmou que nas visitas dos técnicos aos locais das denúncias, são realizados registros fotográficos sobre as reclamações, além de conversas com moradores da região. Estas informações constarão em um relatório encaminhado aos órgãos competentes.

“Após o registro da análise das denúncias pelos nossos técnicos, o pessoal da análise verifica a quem compete a resolução do problema, fazendo a solicitação ao órgão responsável, seja da administração pública municipal, estadual ou federal. Após encaminhado, acompanhamos o andamento da solicitação até que seja solucionada a questão”, explicou.

Outras denúncias

Além da vistoria realizada na rua Elifas Levi Veloso Filho, o Fiscaliza Roraima visitou a Escola Estadual Fagundes Varella, no bairro Nova Cidade, a respeito da reforma da quadra do colégio, onde a cobertura foi destruída após a queda de uma árvore em 2015. Desde então, apenas o que sobrou da cobertura foi retirado do local, mas a quadra nunca foi reformada.

A diretora da escola, Senésia Pereira, relatou durante a visita dos técnicos que há uma emenda parlamentar para reformar não apenas a quadra, como toda a escola, transformando-a em um colégio cívico-militar.

Além disso, durante a última vistoria do dia, os técnicos fizeram uma vistoria referente a uma solicitação de reforma de uma praça, feita por um morador do bairro Conjunto Cidadão. Ao chegar no local, foi constatado que a reforma já foi iniciada.

Vistorias

Devido à suspensão das visitas por causa da pandemia da covid-19, este trabalho está sendo intensificado no início deste ano. Ao todo, desde a criação do programa, foram realizados mais de 900 atendimentos, sendo mais de 300 atendimentos apenas no ano passado.

A população pode formalizar uma denúncia e acompanhar o andamento das reclamações pelo site do Fiscaliza RR (fiscalizarr.com.br), pelo telefone 40009-4835, pelo WhatsApp (95) 98402-1735 ou pelo aplicativo disponível para Android.

Texto: Mairon Compagnon

Foto: Jader Souza

SupCom ALE-RR