Pular para o conteúdo

Lenir Rodrigues pede investigação sobre possíveis impactos ambientais no rio Mucajaí

Um vídeo com imagens que seriam do rio Mucajaí, danificado por máquinas utilizadas para atividade mineradora, levou a deputada Lenir Rodrigues (Cidadania) às lágrimas em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa de Roraima (Alerr) nesta quarta-feira (31). Ela pediu que o caso seja investigado na Casa.
O vídeo mostra um trecho de rio com as margens destruídas e o leito danificado. Nele, um homem mostra como teria sido feito um desvio de 130 metros no rio Mucajaí, utilizando maquinários pesados. “Quero informar que vou encaminhar esse vídeo à comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, para que os membros desta ilustre comissão possam proceder com a análise e providências cabíveis no âmbito do Poder Legislativo”, disse a deputada.
A parlamentar se emocionou ao lembrar que é natural de Mucajaí e se criou no município, a 60 quilômetros de Boa Vista, motivo pelo qual ela ficou ainda mais abalada pelas cenas do vídeo.  “Não podemos ver com naturalidade o que está acontecendo no nosso Estado. Precisamos estar conscientes de que a poluição das águas por mercúrio causa males irreparáveis, doenças como o câncer”, alertou.
A deputada ressaltou a gravidade da situação, visto que o rio Mucajaí é afluente direto do rio Branco e disse que estas atividades estão comprometendo mais de 21 mil quilômetros de bacia hidrográfica. “Estão matando o rio Branco, e nós precisamos do rio Branco para viver. Eu ando muito em todo o Estado, e já venho fazendo esse alerta há algum tempo, e gostaria agora de fazer de forma mais incisiva.”
O deputado Evangelista Siqueira (PT) lembrou que ele e a deputada Lenir foram duramente criticados nas redes sociais por terem sido contrários à lei que autorizou atividades mineradoras como o garimpo. “Fomos atacados nas redes sociais, disseram fomos contrários ao desenvolvimento do Estado. Mas isso não traz desenvolvimento, traz mortes para as famílias, para nós, pois todos bebemos da água do rio Branco. A luta por trabalho é digna, mas não pode ser feita dessa maneira”.
Já o deputado Nilton Sindpol (Patri) se disse emocionado com o discurso da colega parlamentar, e enfatizou que a destruição ambiental não gera desenvolvimento, e sim um retrocesso. “Sabemos da questão social, mas não vamos nos calar, não vamos permitir que rios e igarapés sejam poluídos e a gente morra gradativamente”, disse, ao sugerir uma audiência pública sobre o assunto.
Em resposta aos colegas de parlamento, Lenir disse que entende a necessidade de trabalho de todas as famílias que vivem no Estado, mas que essa é uma questão muito mais complexa e preocupante, que não pode ser minimizada.
Texto: Yana Lima
Foto: Tiago Orihuela, Jader Souza e Marley Lima
Supcom Alerr
Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0