Pular para o conteúdo

Escolegis realiza aulão para concurso público da SEED

Com o edital iminente da Secretaria de Estado da Educação e Desportos (SEED) na praça, a Escolegis (Escola do Legislativo) realiza na sexta-feira (25), das 14h às 17h, aulão preparatório – online e gratuito – com os conteúdos programáticos de Português, do Regimento Jurídico dos Servidores Públicos Civis do Estado de Roraima (Lei Complementar nº 53/2001) e da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB – 9.394/96).


No evento, com transmissão ao vivo pela TV Assembleia – canal 57.3 e pelo Facebook e YouTube (@assembleiarr), os concurseiros terão oportunidade de interagir e tirar dúvidas com os professores por meio das redes sociais. A diretora da Escolegis, Fabíola Chaves, explica que um dos objetivos do aulão é justamente aproximar os roraimenses do tão almejado cargo público.

“Mais uma vez a Escolegis está aproximando sonhos, pois esse aulão é voltado para os professores do Estado de Roraima. A SEED já lançou a banca e a partir daí nos interessou dar uma assistência a eles que vão fazer esse concurso”, disse.

Atenta às demandas da população, a Escolegis já contemplou preparatórios para seleções da área policial, vestibulares e até para o temido exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), somente neste semestre. Segundo a servidora pública, Mirian Santos Vieira, a instituição tem se notabilizado por oportunizar igualdade de condições entre os concorrentes.

“Eu acho muito importante essa preocupação da Escolegis com as pessoas que não têm condições financeiras de pagar um cursinho preparatório, e eu acho isso muito bom para que todos possam ter acesso e ser uma coisa igualitária na hora de fazer a prova”, afirma.

Mirian – que concilia as atribuições do seu cargo de cuidadora numa escola, a conclusão do curso de Letras e os estudos para concursos públicos – aguarda o certame da SEED com muita expectativa, pois pretende lograr êxito num concurso na sua área de formação.

“Há algum tempo presto concurso para carreiras diferentes, às vezes carreira policial, às vezes carreira da educação, e esse, especificamente, da educação em Roraima, é um concurso que eu tenho aguardado há algum tempo, pois embora eu não esteja formada ainda, curso Letras – Português –  na UFRR, ainda assim, eu já estou me preparando para esse concurso na minha área”, conta.

Para quem quer garantir a uma boa classificação na prova, o reforço numa disciplina como português, vai além das regras gramaticais, assegura a professora, Giselle Bispo. “O português é sempre muito importante, pois tem a gramática, mas tem a interpretação de texto, e isso pode ajudar não só na prova de português, mas também na interpretação dos enunciados de uma legislação, por exemplo. Então a disciplina está em todas. É importante para o concurso, para o vestibular e para a própria vida”, ressalta.

Na batuta da disciplina desde 1998 e com vasta experiência em preparatórios, Bispo confessa que ministrar esse aulão traz uma dose extra de responsabilidade e satisfação, pois sabe como é estar do outro lado se preparando para um concurso da educação e o que essa aprovação pode representar na vida desse professor.

“Esse concurso tem um gostinho especial para mim, porque é um concurso pros meus colegas, para ajudá-los a entrar na profissão de forma justa. Independentes, ganhando estabilidade, porque muitos estão esperando esse concurso já há muito tempo. Eu sou prova viva dessa conquista, pois eu já sou concursada, tenho a minha independência, minha estabilidade e eu quero ajudar outros colegas a alcançarem seus objetivos, terem orgulho total da profissão”, pontua.

Se o português é a disciplina mais cobrada nas seleções, a Lei 9.394/96, a LDB, é sem dúvida a norma base nos concursos da educação. Diante desse desafio, o professor, Gibton Pereira, esclarece que a estratégia será ressaltar os principais aspectos da legislação e explorar a resolução de questões no aulão. “Nós preparamos uma aula bem didática com os principais tópicos da lei, aquilo que se repete muito em concurso e ao final dedicamos um tempo da aula para resolução de questões”, conta.

Há dois anos dedicando-se a essa área do direito, o educador aponta que a vocação de aprender do público-alvo é um dos diferenciais nesse tipo de preparatório. “Tenho me dedicado a essa área, e eu tenho certeza que quem está prestando esse concurso vem com a vontade de aprender. Então nós vamos unir isso com a dinâmica da aula, focando nessa aprovação”, ressalta.

Continuar a aprender, inclusive, foi uma das razões que fez o sociólogo de carreira, Gabriel Fortes Normanton, voltar aos bancos da faculdade para prestar concurso para a SEED. Atualmente cursando História, o sociólogo espera que junto com a sua aprovação venha a oportunidade de desempenhar um trabalho que é o alicerce da sociedade.

“O que esse concurso traz é a certeza para o servidor realizar um ótimo trabalho trazendo qualidade para educação, pois o professor é a base para uma boa educação e a sua valorização é fundamental”, disse.

O aulão também esmiuçará uma das normas mais frequentes nos certames em Roraima, a Lei Complementar nº 053/2001, que rege, por exemplo, as formas de ingresso e de desligamento do cargo público. As diversas modalidades podem confundir até mesmo o concurseiro prevenido. Por isso, a professora da matéria, Gislayne de Deus, elucida que o foco da sua aula será na diferenciação desses conceitos.

“A intenção é trazer muitas dicas dos temas mais cobrados nas provas. A principal dúvida em relação ao regime jurídico é distinguir as formas de provimentos, como você entra no cargo, e as formas de vacância, a forma que o cargo vai ficar vago, pois são várias e isso gera muita dúvida nos alunos”, enfatiza.

As dicas e as resoluções de questões facilitam a assimilação dos assuntos. Todavia, de acordo com a docente, o principal conselho de aprovação continua a ser o de se preparar com antecedência. “A principal diferença entre o candidato que passa e o que não passa, é a preparação antecipada”, ressalta a professora.

 

Concurso SEED

O Governo de Roraima assinou contrato com o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), para a realização do concurso da Secretaria de Estado da Educação e Desportos (SEED), que ofertará 650 vagas para o cargo de Professor de Educação Básica. Além disso, o Instituto de Desenvolvimento Educacional Cultural e Assistência Nacional (Idecan) foi escolhido como banca organizadora do concurso público que ofertará 1.000 vagas para o cargo de professores Indígenas.

Texto: Suellen Gurgel

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0