Pular para o conteúdo

EDUCAÇÃO PÚBLICA
Reitor reconhece contribuição da Assembleia Legislativa para história da UERR

Deputados da Assembleia Legislativa (ALE-RR) participaram na noite desta quarta-feira (10) da comemoração dos 16 anos da Universidade Estadual de Roraima (UERR). Durante a solenidade, o reitor Regys Freitas reconheceu o papel da Casa Legislativa no sucesso da instituição.

 

 

 “Podemos dizer que a UERR começa hoje sua adolescência, mas com uma gama de investimentos muito grandes que faz dela uma universidade com extrema qualidade, e tem sido uma das pautas do Governo do Estado investir na educação superior. A gente tem contado, assiduamente, com o apoio da Assembleia Legislativa, dos 24 deputados, que têm se esforçado no sentido de garantir o orçamento para que essa instituição de ensino cresça. O dia hoje é de comemoração e de muitos agradecimentos”, afirmou.

O reitor anunciou que, entre as novidades que estão por vir, está a construção da Cidade Universitária que vai abrigar não somente os 23 cursos, mas os novos devem ser criados tanto na capital quanto no interior. “Estamos vendo a possibilidade de ampliar o número de vagas dos cursos que já ofertamos, como o de Medicina. É um desejo do governador fazer isso”, anunciou.

O deputado Chico Mozart (Cidadania) ressaltou que a instituição tem mudado a vida das pessoas. “Há 16, anos a Universidade Estadual promove e dá oportunidade às pessoas de fazerem curso superior de qualidade. Nossas expectativas com relação ao futuro da instituição são as melhores, uma vez que temos a mão do governo apoiando a instituição. Com essa parceria do Governo do Estado e da Assembleia Legislativa, a UERR vai alcançar grandes êxitos”, disse Mozart.

A deputada Yonny Pedroso (SD) ressaltou que o papel da Assembleia Legislativa tem sido fundamental para impulsionar a instituição de ensino. “A atuação dos parlamentares junto à UERR quando aprova o orçamento, é de extrema importância porque contribuímos para a capacitação de doutores, mestrandos e graduandos. Quando colocamos nossas emendas, estamos contribuindo para o avanço da universidade para melhorar as condições dos nossos estudantes, para que saiam capacitados para o mercado de trabalho”, analisou.

“Um exemplo de instituição”. Essa foi a afirmação da deputada Lenir Rodrigues (Cidadania) para destacar o trabalho da UERR. “Nós, da Assembleia Legislativa, sempre estivemos abertos para aprovar projetos que beneficiassem a UERR. Eu já coloquei emenda individual e vamos continuar trabalhando para o fortalecimento da educação superior nesta instituição, que, inclusive, é pioneira no atendimento às comunidades indígenas do nosso Estado. São 16 anos de pleno sucesso”, reforçou.

O governador Antonio Denarium (PP) anunciou a retomada das obras no estabelecimento de ensino, um investimento no valor de R$ 80 milhões. “Temos a construção da reitoria, além de vários laboratórios que serão implantados. Vamos lançar também a pedra fundamental dos cinco novos blocos do Campus da Universidade Estadual. É um presente para os alunos, professores e para a população que precisa de ensino superior gratuito e de boa qualidade. A UERR nos dá o futuro com profissionais formados para o desenvolvimento do Estado”, disse.

Honoris causa

O governador recebeu durante a solenidade o título de doutor honoris causa. “Fico muito feliz de receber essa honraria da Universidade Estadual. São poucas as pessoas que a receberam. Agradeço ao reitor e a todos os professores pela escolha”, comemorou.

O título é honorífico, ou seja, “por causa de honra”. É concedido por universidades de prestígio a uma personalidade de grande destaque ou importância por seu trabalho.

Evolução da UERR 

A UERR foi criada pela Lei Complementar 91/2005. A Assembleia Legislativa tem contribuído de forma significativa para o crescimento da instituição por meio do vestibular. Em março deste ano, aprovou a Lei nº 1.460, que criou o PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração) dos servidores públicos efetivos da área administrativa, níveis médio e superior, proporcionando o desenvolvimento profissional do servidor no cargo, com base na igualdade de oportunidades, mérito funcional, qualificação profissional e esforço pessoal, além de instituir perspectivas de mobilidade dos servidores nos respectivos cargos, mediante progressões e motivação à prestação de serviços públicos de excelência, promovendo a valorização profissional e remuneratória condizente com os resultados alcançados.

A Lei 705/2009, do deputado Jalser Renier (SD), criou o Programa Idade Ativa – Universidade Aberta à Terceira Idade, que permite que pessoas acima de 50 anos se inscrevam para cursos de extensão, estimulando o retorno aos estudos. A instituição destina vagas específicas em cursos de graduação para alunos que passaram pelo Idade Ativa, o que já garantiu a vários idosos o direito de frequentar um curso superior.

Com sede em Boa Vista, no bairro Canarinho, a instituição ultrapassou fronteiras municipais e está presente em várias localidades. Além do campus da capital, há também os campi de Excelência Aplicada à Educação, Caracaraí, Rorainópolis e São João da Baliza. São 24 cursos de graduação,15 de pós-graduação, sendo 8 especializações, 4 mestrados e 3 doutorados.

A instituição de ensino superior tem aproximadamente 2.000 alunos cursando graduação, segunda licenciatura e pós-graduação. A comunidade docente conta com 186 professores e 128 servidores técnicos administrativos. Há ainda 48 projetos de pesquisa cadastrados e 487 bolsas que atendem alunos e professores.

A UERR oferta cursos de Administração, Agronomia, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Ciências da Computação, Ciências da Natureza e Matemática, Direito, Engenharia Florestal, Enfermagem, Educação Física, Física, Filosofia, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Segurança Pública, Sociologia, Serviço Social, Química e Turismo.

Histórico

Antes de se tornar a Universidade Estadual, a instituição era voltada apenas a formar docentes no Estado. A Escola de Formação de Professores de Roraima foi criada em 1977 pelo governador biônico Fernando Ramos Pereira, com a finalidade de preparar profissionais para o ensino primário, enquanto o Centro de Formação e Aperfeiçoamento do Magistério (Cefam) tinha o objetivo de habilitar para as séries iniciais do Ensino Fundamental e promover a formação continuada dos professores com a oferta de cursos de curta duração.

Em 2001, o então governador, Neudo Campos, criou pelo Decreto 4.347–E a Fundação de Ensino Superior de Roraima (Fesur) para manter o Instituto Superior de Educação (ISE/RR), o Instituto Superior de Segurança e Cidadania (ISSeC) e o Instituto Superior de Educação de Rorainópolis (ISER).

Um ano depois de criada, a UERR foi efetivamente instituída com a aprovação do estatuto, em 13 de julho de 2006. Este período de transição foi marcado por audiências públicas, discussão interna acerca da implantação da universidade, incorporação da infraestrutura física da Fesur e das demais unidades, internalização de uma nova cultura institucional, e, especialmente, adoção de medidas para a incorporação dos cursos existentes e alunos matriculados.

Texto: Marilena Freitas

Foto: Eduardo Andrade

SupCom ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0