Para o deputado, empresas dessa natureza deveriam ser mais fiscalizadas. Lembrou que a Codesaima já tem advogados e não seria necessário contratar uma empresa por R$ 318 mil.

A contratação e a finalidade do escritório de advocacia Silva Leite Advogados & Associados na Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima) foi tema do discurso do deputado George Melo (PSDC) na tribuna durante sessão desta quarta-feira, 22.

Segundo ele, “a empresa Silva Leite Advogados & Associados pertence ao advogado Frederico Leite, que é casado com a sobrinha da governadora Suely Campos, cujo contrato tem sido sistematicamente, corrigido”. Conforme George Melo, esse escritório é contratado por um valor mensal de R$ 318 mil. O parlamentar explicou que, como a Codesaima é uma empresa pública e privada, é possível fazer um convênio e executar qualquer serviço rapidamente.

“Pensando nessa rapidez, analisamos esse contrato com a empresa Silva Leite & Advogados que até agora só soube de dois grandes feitos: que o dono dela é advogado do ex-governador Neudo Campos e que esse mesmo advogado foi quem coagiu duas pessoas presas na Operação Cartas Marcadas para que eles delatassem os deputados estaduais”, lembrou.

O parlamentar disse que com o pronunciamento “quis chamar a atenção do Ministério Público Estadual e do Tribunal de Contas do Estado” porque considera “um absurdo a empresa contratada pela Codesaima num valor alto como esse”.

Além disso, ele destacou que o advogado Frederico Leite é sócio da sobrinha da governadora e por isso, o nome da empresa menciona o “Silva”. “Outra observação que faço é que talvez tenha aumentado demasiadamente os serviços do ex-governador Neudo Campos, porque a Codesaima teve os serviços reduzidos, considerando que foram demitidos mais de 70% dos servidores. Também soube que queriam fechar o Mafirr (Matadouro Frigorífico Industrial de Roraima) porque não tinham como pagar os servidores que ganham um salário mínimo, mas têm R$ 318 mil para pagar essa empresa de advogados”, avaliou.

Para o deputado, empresas dessa natureza deveriam ser mais fiscalizadas. Lembrou que a Codesaima já tem advogados e não seria necessário contratar uma empresa por R$ 318 mil. “Sei que os processos do ex-governador estão todos em Brasília e não acredito que seja preciso uma empresa ganhando uma soma financeira dessa. O Estado precisa investir mais em compra de merenda escolar, remédios para os hospitais, por exemplo”, comentou.

Por Shirleide Vasconcelos
SupCom/ALE-RR