“No governo passado a CER já vinha se preparando para essa absorvição, mas o governo atual não se preocupou com isso e as contas alcançaram valores estratosféricos” disse George.

A situação da Companhia Energética de Roraima (CER) e o gasto que o governo do Estado estaria tendo para manter dois servidores nomeados para resolver a situação da estatal de economia mista, após ser absorvida pela Eletrobras Distribuição Roraima, foi a tônica do discurso do deputado George Melo (PSDC).

Segundo o parlamentar, o gasto mensal é de R$ 150 mil com apenas dois servidores que não são do quadro da CER. “Por que a governadora não nomeou como interventores dois funcionários de carreira que tinham e tem interesse nessa negociação? No governo passado a CER já vinha se preparando para essa absorvição, mas o governo atual não se preocupou com isso e as contas alcançaram valores estratosféricos. Esse dois funcionários nomeados são justamente os que ajudaram a endividar a CER. Imagina o tipo de acordo que vai ter”, criticou, ao relembrar a situação dos funcionários da CER que estão aguardando para ser indenizados.

Ele ressaltou que os dois funcionários nomeados quando estiveram à frente da estatal não regularizaram os polos nos municípios, que por falta de manutenção e vontade política à hidrelétrica de Jatapu, localizada no sul do Estado, não está funcionando plenamente.

“O governo passado deixou a hidrelétrica de Jatapu com uma turbina pronta, bastava apenas pagar R$ 3 milhões, mas até hoje essa turbina não veio e temos que complementar com óleo diesel”, disse.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR