O parlamentar ressaltou que a situação vivenciada dentro do presídio poderá se refletir nas ruas, caso haja fuga.

A tentativa de fuga de presos e de homicídio contra um agente carcerário na madrugada desta quarta-feira, 31, na Penitenciária Agrícola do Monte Cristo (PAMC), motivaram o deputado Izaias Maia a subir à tribuna, durante sessão ordinária, para chamar a atenção mais uma vez da vulnerabilidade do sistema prisional de Roraima e da necessidade de ações que resolvam a situação, de forma que a sociedade possa viver com tranquilidade e os apenados sejam, de fato, reeducados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal (LEP).

Ao ler uma reportagem veiculada em um jornal de grande circulação no Estado, Maia ressaltou que essa situação vivenciada dentro do presídio se refletirá nas ruas, caso haja fuga. “Eles [os presos] indo para as ruas vão se vingar na sociedade e nas autoridades, pois já tem até lista de pessoas que podem vir a ser assassinadas. Mas parece que não estão dando a importância necessária e não estão confiando na força dos comandos criminosos que existem no país”, disse.

Na opinião dele as rebeliões ocorridas nos últimos meses e o saldo de mortos ainda não foram motivos suficientes para se tomar medidas enérgicas. “Até agora nada resolvido, só muita conversa”, reforçou.

Energia – As inúmeras interrupções no fornecimento de energia elétrica também foram alvos do discurso do parlamentar. “O povo fique alerta porque a qualquer momento teremos um apagão geral, pois o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, disse que não poderia dar manutenção na linha de transmissão energética de Guri que vem para Roraima. Na categoria, ele tirou de tempo nosso Estado, porque não tem dinheiro para a manutenção”, disse, ao ressaltar que a declaração de Maduro foi dada por ocasião da saída da Venezuela do bloco do Mercosul.

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR