Pular para o conteúdo

IMIGRAÇÃO – Izaias Maia critica falta de controle na ocupação dos espaços públicos

“As autoridades policiais e jurídicas têm que agir”, declarou o parlamentar.

O deputado Izaias Maia (PTdoB) usou a tribuna no plenário da Assembleia Legislativa de Roraima, na manhã desta terça-feira, 15, para fazer um alerta e pedir ajuda às autoridades do Estado quanto à situação instalada nos espaços públicos de Boa Vista, que estão se transformando em favelas para abrigar migrantes venezuelanos, índios e não índios.

Ele usou como exemplo a Rodoviária Internacional de Boa Vista que, tanto dentro quanto fora, está sendo usada pelos imigrantes. “As autoridades policiais e jurídicas têm que agir. A rodoviária se transformou em uma imundice, uma podridão, onde crianças e adultos vivem debaixo de lona, defecando e fazendo xixi em frente de todo mundo. Casebres estão sendo levantados e não aparece uma autoridade para dizer, pelo menos, vamos devagar com essa situação”, denunciou o parlamentar.

Izaias Maia lembrou que se a situação fosse inversa, e os brasileiros necessitassem de abrigo na Venezuela o tratamento seria diferente, não seria amistoso, pois sem precisar de abrigo, apenas fazendo turismo, há relatos de brasileiros que foram humilhados no país vizinho. “Fazer um trabalho humanitário é louvável, agora os órgãos têm que dizer aos índios e não índios da Venezuela que têm que respeitar a nossa cidade. Porque se um brasileiro for para lá, a partir de Santa Elena a chibata come. O problema não é dos venezuelanos que estão invadindo Roraima, mas da falta controle por parte das autoridades”, criticou.

Ressaltou que na semana passada o prefeito de Pacaraima, Juliano Torquato (PRB), pediu ajuda ao Exército brasileiro. “Pediu ajuda porque lá virou a casa de Noca, a casa da mãe Joana, onde todo mundo faz o que quer. Já tem agendado para vir a Roraima mais sete mil venezuelanos, fora os 15 mil que estão aqui”, disse.

O parlamentar disse reconhecer a importância do trabalho feito pelos defensores dos direitos humanos, mas salienta que é preciso ver a situação do Estado, uma vez que os espaços públicos ocupados pelos imigrantes poderão se tornar em caso de saúde pública, por conta da falta de higiene. “Direitos humanos é importante, mas quem vai à rodoviária, meu amigo, vai ver criança fazendo xixi, defecando, uma verdadeira esculhambação. Tem que ter ajuda humanitária, mas tem que ter respeito”, reforçou Izaias Maia.

O deputado George Melo (PSDC) endossou o discurso ao citar as barreiras impostas pelos Estados Unidos da América (EUA). “Se os EUA cobram tanto diretos humanos, então porque não abrem a fronteira do México. Eles não são a favor dos direitos humanos? As pessoas que admiravam o Lula poderiam se mudar para a Venezuela e viver o comunismo e não querer tornar também o Brasil comunista”, ressaltou.

 

Por Marilena Freitas

SupCom/ALE-RR

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Arquivos

0