O Dia Estadual da Juventude Cristã será comemorado neste sábado, 23 na Praça do Mirandinha, localizada no bairro Caçari, a partir das 18h. A data, celebrada no dia 22 de setembro, faz parte do calendário oficial de eventos do Estado e foi instituída no ano passado, conforme Lei 1.070 de autoria da deputada Angela Águida Portella (PSC).

A parlamentar é uma das promotoras deste evento, gratuito e aberto ao público, que conta com a parceria das igrejas evangélicas, Católica e Renovação Carismática, e o apoio da Omer (Ordem dos Ministros Evangélicos de Roraima) e Omebe (Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil e do Exterior).

“Esse evento é uma forma de dar visibilidade para esses jovens que estão dedicando parte da vida em prol do outro, além de incentivá-los a, cada vez mais, praticarem atos de amor ao próximo, e de valorizá-los por se dedicarem ao trabalho voluntariado, que dentro da igreja é feito de uma forma eficaz”, disse a parlamentar.

Angela ressaltou que as pessoas precisam fazer a diferença na vida desses jovens. “Quando vemos essas atitudes de solidariedade, principalmente vindas de pessoas tão jovens, é importante reforçar e valorizar para que tenham visibilidade. O evento é gratuito e convido toda a população para participar, pois tenho certeza que será bem agradável, com boas músicas”, convidou, ao salientar que será uma oportunidade de ver o trabalho das igrejas junto ao público infanto-juvenil.

Família na Escola – Na manhã desta sexta-feira, 22, a deputada, que é presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Família, da Mulher, da Criança, do Adolescente e Ação Social, da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima (ALE/RR), realizou uma panfletagem em frente à Igreja Catedral para divulgar a Semana de Mobilização da Família na Escola, anualmente comemorada na terceira semana de setembro, em homenagem ao educador Paulo Freire, que fazia aniversário no dia 19 deste mês.

“Esse projeto é para chamar a atenção dos pais para que se envolvam mais na vida dos filhos no âmbito escola. Precisamos integrar a escola e a comunidade, para que os pais acompanhem e conheçam os amigos e os professores do filho, valorizando mais a escola. Os filhos precisam desse reforço positivo porque isso é uma forma de dizer ‘eu te amo e me importo com você”’, explicou a parlamentar.

Ela chamou a atenção para o alto índice de suicídio que existe no Estado, principalmente de jovens. “Na correria do dia a dia, às vezes, os pais não prestam atenção nesses detalhes que são tão importantes. Mas os pais precisam ficar atentos e reforçar os laços afetivos dentro da família”, afirmou.

Os motoristas que passavam pelo local e que receberam o panfleto foram receptivos à iniciativa, como Marcos Gomes, que entende que a educação deve ser trabalhada por várias mãos, mas que a família é a maior responsável pelo bom desempenho dos filhos. “É importante os pais ensinarem em casa porque a educação básica vem é da família, de berço. A escola é somente um complemento”, disse.

Lenir Tomé destacou que a realidade atual exige um olhar mais focado por parte da família. “É um dever acompanhar os filhos, e nos dias de hoje é muito mais importante estar atenta a educação deles”, afirmou.

Para Poli Eudson, pais que esperam apenas a educação vinda da escola estão cometendo um grave erro, talvez irreversível no futuro. “Falta compromisso, um pouco mais de responsabilidade, porque a escola não é a única que deve ter a obrigação de educar. O não acompanhamento da família poderá resultar em sérios problemas”, ressaltou Eudson.

Sou Mais – Na próxima terça-feira, 26, a parlamentar vai percorrer as escolas em Mucajaí, com o projeto ‘Sou Mais’, que tem como objetivo mostrar às crianças e adolescentes que eles podem fazer a diferença na sociedade. O projeto visa fortalecer a rede e chamar a atenção da família, de professores, dos técnicos, da equipe de apoio e do Conselho Tutelar para a integração dentro da escola.

“Esse projeto também reforça os valores familiares para se construir o espírito de cidadania. Essas crianças e adolescentes precisam ter consciência de que não estão sozinhas no mundo, e que devem ser mais participativas. Muitas vezes queremos mudança, mas não damos o primeiro passo. Vamos falar para essas crianças e adolescentes sobre o valor da vida, que podem ser melhor a cada dia e que também são responsáveis pelo próprio futuro. Elas não precisam esperar a fase adulta para serem melhores, mas que podem sim, buscar a cada dia ser melhor, estudar, ser assíduo na escola e um multiplicador dessas ideias e ideais”, disse.

Marilena Freitas