O deputado George Melo (PSDC) contestou na manhã desta terça-feira, 17, na tribuna da Assembleia Legislativa, os números divulgados pelo Governo do Estado relativos aos financiamentos e vendas de gado, durante a Exposição Feira Agropecuária de Roraima (Expoferr), que teria movimentado em torno R$ 38 milhões. Segundo ele, “a festa pirotécnica teve outra finalidade”.

“Não deixou de ser uma festa pirotécnica para lavar dinheiro. Tenho certeza que a governadora não sabe quanto já foi negociado porque, normalmente, os bancos ainda não fizeram seus balanços de negócio. Essa foi uma festa com menos de mil pessoas, a não ser no último dia que teve a apresentação do Michel Teló”, disse o parlamentar se referindo ao artista que encerrou os festejos.

Ele afirmou que não é contra a Expoferr, mas defende que o evento seja planejado e que envolva os produtores. Ressaltou que a participação da população também só pode acontecer se o governo honrar os compromissos relativos a pagamentos de servidores e de empresas terceirizadas. “A governadora quer que as pessoas participem. Mas como participar se ela não paga as empresas terceirizadas, as de transportes escolar e não repassa o duodécimo?”, questionou.

O deputado Brito Bezerra (PP), líder do Governo na Assembleia, contestou o discurso do colega. “O montante negociado na Expoferr já passa de 40 milhões e os bancos já têm esses dados e repassaram para as secretarias. Com relação ao público no último dia, 10% da população da cidade estava lá, 51 mil pessoas. A vaquejada foi fenômeno, as corridas de cavalos, que são tradicionais no Estado, não tinham onde ficar gente nas arquibancadas [de tão lotadas], e os pecuaristas que vieram de outros estados expor seus animais ficaram maravilhados. A governadora teve todos os dias no evento e a Expoferr foi um grande sucesso de público, para o pecuarista e para todos”, afirmou, ao lembrar que há cinco anos não havia exposição, e que o parque foi revitalizado graças à uma emenda de sua autoria.

George Melo retrucou dizendo que esse “sentimento” [de sucesso] está dentro apenas do Palácio do Governo. “Até porque as arquibancadas foram interditadas pelo Corpo de Bombeiros. A gente sabe que somente no último dia deu muita gente por causa do show do Michel Teló. A movimentação foi de quase nada para o tamanho da nossa agroindústria e pecuária. R$ 38 milhões é uma vergonha. É muito pouco para um Estado que diz que investe”, reforçou.

Marilena Freitas