Está prevista para ocorrer no dia 9 de novembro, às 15h, na Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), uma audiência pública que vai debater a situação dos imigrantes da Venezuela que buscam ajuda em Roraima. A realização foi decidida durante reunião da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Minorias e Legislação Participativa, realizada na manhã de hoje, 17, no plenário Noêmia Bastos Amazonas, logo após a sessão ordinária.

Segundo o presidente da Comissão, deputado Evangelista Siqueira (PT), a audiência foi deliberada a partir de um requerimento do Serviço de Imigrantes Jesuítas da Igreja Católica. “O requerimento deu entrada na Comissão e todos os deputados membros deste grupo, concordaram em realizarmos essa audiência para discutir a temática”, explicou, ao adiantar que são esperados para o evento, além dos membros do Serviço de Imigrantes Jesuítas, também o alto escalão comissariado da ONU (Organização das Nações Unidades), além de autoridades do poder público estadual e municipal.

“Queremos saber como está a situação, pois já faz mais de um ano que realizamos uma audiência pública na Assembleia, e de lá muita coisa mudou”, frisou o parlamentar. Ele disse ainda que um dos pontos altos da audiência será o levantamento sobre como essas pessoas estão vivendo hoje, quantidade aproximada de imigrantes já instalados no Estado e quais as principais necessidades deste povo e o que autoridades podem fazer quanto ao auxílio que pode ser prestado a essas pessoas.

“Tivemos um acréscimo grande e queremos saber como está a realidade hoje, que serviços estão sendo prestados, como poder público pode atuar e o que pode ser feito também via Assembleia Legislativa”, reafirmou.

Dados – Segundo informações da Polícia Federal (PF) divulgadas em nível nacional, em Roraima, mais de 6,4 mil pedidos de refúgio de venezuelanos foram registrados de janeiro a junho deste ano. Em 2016 foram 2,2 mil pedidos realizados e em 2015 foram feitas 230 solicitações.