Os 200 alunos que estudam inglês na Escola do Legislativo tiveram na tarde desta quinta-feira, 26, uma aula diferente. A professora da turma, Fernanda Viana, aproveitou as festividades do Halloween, que tradicionalmente é comemorado no dia 31 de outubro, e realizou uma aula temática, com direito a um cenário que começava na entrada do prédio e seguia pelos corredores da instituição, além de todos os alunos vestidos a caráter.

“A aula de hoje é uma imersão à cultura americana para despertar a necessidade do inglês na vida dos alunos. Essa é forma divertida de ensinar e avaliar. Eles estão aprendendo inglês e sendo também avaliados na pronúncia, na construção das frases que foram elaboradas. Então no final, as atividades lúdicas em grupo vão servir para avaliação e para entender o porquê do inglês”, explicou a professora.

Ela usou diversas brincadeiras infantis para ensinar a disciplina. “São brincadeiras infantis tradicionais nos Estados Unidos e na Europa como a verruga no nariz da bruxa, o boliche assustador, bacia de maçãs, teatro e dança”, detalhou a professora, que estava vestida de noiva do vampiro. Os alunos se fantasiaram de bruxa, fantasmas, noiva, caveira e etc.

O trabalho envolveu alunos de outras disciplinas, isso porque a turma de inglês estava se apresentando em todas as demais salas de aula. “Todo mundo brinca de Halloween, mas não sabe o motivo. Então nesta atividade a gente avalia os alunos e acaba despertando interesse nos alunos de outras turmas”, disse.

O amazonense Valter Santos, 44 anos, disse que é a primeira vez que estuda inglês, e que essa atividade específica ajudou ainda mais a compreender a disciplina. “Estou achando ótima a interação com os colegas. Estamos aprendendo muito o inglês através dessas brincadeiras. Eu sempre quis aprender inglês, mas o curso é muito caro, então quando surgiu essa oportunidade, logo me matriculei”, contou.

Aprender a falar outro idioma tem sido uma felicidade para a aluna Dalcilene dos Santos, 47 anos. “Está sendo maravilhoso, porque a forma de ensinar da professora torna fácil o aprendizado. Antes, achava que não tinha condições de aprender um idioma porque tudo se tornava difícil, mas com as brincadeiras, confesso que estou amando. Estou aprendendo”, contou.

Dalcirene fazia parte da lista das pessoas que não faziam inglês por falta de condições financeiras. “É um curso de valor alto para minhas condições. Então quando essa oportunidade apareceu, eu peguei. Sinceramente, a Assembleia Legislativa está de parabéns. Sou de Manaus e moro aqui há dez anos e nunca tinha visto algo tão maravilhoso”, avaliou.

 

Marilena Freitas