Nesta quinta-feira, 9, e sexta-feira, 10, a partir das 20h, no Teatro Jaber Xaud, do Sesc (Serviço Social do Comércio) Mecejana, cerca de 100 crianças e adolescentes do grupo de teatro do programa Abrindo Caminhos, da Assembleia Legislativa de Roraima, irão apresentar o primeiro espetáculo que tem o nome de ‘Cantos do Trabalho’. A entrada é gratuita.

No dia 9, a apresentação será direcionada para os familiares dos alunos. No dia 10, a bilheteria abrirá às 19h para que a comunidade retirem os convites. O Teatro Jaber Xaud está localizado nas dependências do Sesc, próximo ao viaduto, e tem a capacidade para pouco mais de 200 pessoas.

E a preparação se intensifica com a aproximação do evento. Na noite desta segunda-feira, 6, por exemplo, houve um ensaio geral com toda a turma. Kamylly Emnanuelle Lima, de 14 anos, disse que a ansiedade cresce com o passar dos dias, assim como o medo de errar, mas garantiu que o empenho e a dedicação se sobressaltarão nos resultados. “Estamos ensaiando há bastante tempo e nós vamos conseguir fazer uma apresentação para tocarmos as pessoas”, disse ela.

A adolescente, que desde pequena sonha em ser atriz, está no teatro do Abrindo Caminhos há um ano, desde o início do programa. “Sempre foi algo extrovertido com seriedade, ajuda bastante a gente. Algumas pessoas que sofrem com depressão, o teatro ajuda também a se soltarem”, enfatizou Kamylly.

Outro a participar da peça ‘Cantos de Trabalho’ será o estudante Leandro Inácio Souza, de 17 anos. Garantiu que assim como os outros, a ansiedade fala mais alto, porém, após meses de dedicação fará o melhor. “A gente tenta aprender como foi, como eles viveram pra gente expressar com a naturalidade na atuação e estamos aprendendo um pouco”, explicou sobre a vivência na peça.

A peça – A peça retratará a história de trabalhadores do campo, de carvoeiras, lavadeiras e rendeiras que em seu coletivo, usavam a música para amenizar a exaustão do trabalho durante todo o dia. Os personagens estarão caracterizados conforme a época em que se passa o enredo. As músicas serão cantadas pelos alunos e acompanhadas pelos músicos Ismael Mafra, Kastorijane Oliveira, Tamie Timóteo, Silvandro Barros, Gidecy Sabóia e Marinho da Luz.

A professora de teatro, Kaline Barroso, reforçou que a ideia surgiu depois de várias pesquisas para mesclar a arte com a música, tendo como base obras de escritores e cineastas. “O nosso teatro fala sobre os cantos de trabalho, os cantos que as pessoas cantam no trabalho para amenizar, passar o tempo mais rápido, para que esse trabalho se torne mais prazeroso e em sua maioria são trabalhos de roça, cortador de cana-de-açúcar, plantadores de algodão, as lavadeiras”, contou.

O grupo – Os participantes têm idade entre 7 e 17 anos. A maioria deles, segundo Kaline, subirá ao palco pela primeira vez. “O que eu posso dizer é que as crianças estão muito ansiosas, elas são muito dedicadas e eu tenho certeza de quem vir assistir não vai se arrepender”, complementou.

Ao longo dos meses, a preparação foi intensificada em toda a turma. A professora Karen Barroso explicou que todos eles chegaram crus ao Abrindo Caminhos e com o passar do tempo foram se aperfeiçoando. “No programa eles têm aula de expressão corporal, expressão vocal, de como se portar diante do público, como olhar para a plateia e aí eles se desenvolvem não só no palco, mas também na vida, para apresentação de seminário na escola, para uma apresentação na igreja, um discurso”, frisou.

Tema – A peça ‘Cantos do Trabalho’ resgata a história do Brasil rural e que traz na composição músicas mescladas das culturas indígenas, europeias e africanas. Os cantos eram usados pelos trabalhadores rurais para afastar a exaustão das longas jornadas de trabalho e, assim, unificar e externar a solidariedade entre os trabalhadores.

A peça retrata o trabalho das descascadoras de mandioca, plantadeiras de arroz, das colheitas de cacau, entre outras, além de retratar o trabalho infantil.

Yasmin Guedes