Criada em 22 de maio de 2014, a Organização Não Governamental MIGRE (Missionária Missões, Um Grito de Clamor na Escuridão), foi declarada na manhã dessa terça-feira (28), na Assembleia Legislativa de Roraima, como instituição de Utilidade Pública.

O projeto de decreto legislativo é de autoria da deputada Aurelina Medeiros (PODE) e recebeu decisão favorável de todos os parlamentares presentes em votação ocorrida em sessão ordinária, no plenário Deputada Noêmia Bastos Amazonas. A entidade, sediada no bairro Jardim Floresta, zona Oeste de Boa Vista, realiza em todos esses anos assistência social, espiritual, beneficente e filantrópica com pessoas carentes na capital, além de realizarem projetos de cunho cultural, ambiental e social, com recursos próprios ou advindos de convênios.

Para a autora da proposta, deputada Aurelina Medeiros, esse reconhecimento por parte do Poder Legislativo, tem a intenção de valorizar o trabalho desenvolvido no resgate social de pessoas que estão abandonadas na cidade. “É um trabalho que busca nas praças, nas ruas, famílias com problemas, e leva até elas, de alguma forma, um ajuda. Seja por meio de aconselhamento, através de convite para participar de uma conscientização”, contou a parlamentar.

Tornando utilidade pública, a MIGRE terá a autorização para captação de recursos públicos para ajudar na melhoria dos atendimentos e, assim, ampliar o leque de apoio a mais pessoas. “A gente acompanha de perto e que é muito importante para o Estado e para as pessoas que não tem ninguém no mundo e que tem alguém que dê a mão para elas. A MIGRE é essa mão amiga”, disse Aurelina.

Yasmin Guedes