Dados do CHAME (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), da Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa de Roraima, revelaram que em 2017, mais de 124 pessoas procuraram a ferramenta virtual Zap CHAME (98402-0502), para buscar orientações sobre tipificação de violência, bem como informações jurídicas.
A coordenadora do Zap CHAME, Lielma Tavares, explicou que esse tipo de auxílio ajuda no processo de empoderamento feminino. Relatou que um caso chamou atenção da equipe, quando uma mulher procurou o Zap CHAME para relatar a violência sofrida dentro de casa pelo companheiro. Aconselhada pela plantonista a procurar o CHAME para iniciar o acompanhamento, a vitima relatou que passou cinco vezes na frente do prédio até criar coragem e entrar.
“Nós ficamos felizes pelo fato de existir essa ferramenta. Ela relatou que estava tão desesperada e passou cinco vezes aqui na frente e não tinha coragem de entrar porque estava com medo, estava indecisa. Quando ela buscou ajuda no Zap [CHAME], a plantonista a encorajou a vir até aqui”, complementou Lielma. Esse tipo de ferramenta, pontuou, é de fundamental importância para as mulheres perderem o medo.
O serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias, incluindo sábados, domingos e feriados. “Lembrando que não recebemos ligações, só via mensagem de whatsapp”, explicou. Antecipou que para este ano, as servidoras plantonistas passarão por novas capacitações como forma de atualizar as informações sobre legislação e atendimentos nas redes de proteção.
Resolução – O Zap Chame é mais um mecanismo que a Assembleia Legislativa de Roraima criou para atender as mulheres vítimas de violência doméstica. A resolução de autoria dos deputados Jalser Renier (SD) e Lenir Rodrigues (PPS), foi assinada no dia 19 de abril de 2016.
Yasmin Guedes
SupCom ALERR